Fenaban decepciona bancários na última reunião do ano para debater igualdade de oportunidades

Frustração foi o sentimento dos dirigentes sindicais da categoria ao saírem da última reunião do ano com a Fenaban, realizada em São Paulo na terça-feira, 15/12 (foto), para debater igualdade de oportunidades. Apesar de definir o calendário de debates para 2016, alguns temas importantes não avançaram. Já estão agendadas quatro reuniões: na segunda quinzena de fevereiro, na última semana de abril; na segunda semana de julho e após a assinatura do acordo da Campanha Nacional de 2016. “A postura da Fenaban ficou muito aquém da nossa expectativa. Embora os temas importantes tenham sido abordados, os resultados práticos foram muito pequenos”, lamentou Fabiano Paulo da Silva Junior, secretário de Políticas Sociais da Contraf-CUT.

Assedio sexual
A principal frustração dos representantes bancários ficou por conta da campanha nacional conjunta de combate ao assédio sexual. Os bancos se comprometem a reforçar a comunicação e sensibilização interna, mas não aceitam fazer a campanha conjunta com movimento sindical – ao contrário do que foi sinalizado na campanha nacional 2015.

Retrocesso
“A gente considera um retrocesso esse tipo de postura dos bancos num tema, comprovadamente, de extrema relevância. É uma violência, pois o agressor se utiliza de seu cargo e seu poder para subjugar sua vítima. É uma relação de poder baseada no machismo que é algo que lutamos para desconstruir. Queremos uma sociedade de iguais, sem discriminação de gênero, raça, orientação sexual, pessoa com deficiência, sem violência de gênero e sem assédio sexual”, afirmou Fabiano.

Fonte: Imprensa SindBancários com informações e foto da Contraf-CUT

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FACEBOOK

SERVIÇOS

CHARGES

VÍDEOS

O BANCÁRIO

TWITTER