Fechamento de quase 300 agências bancárias no país é questionado no Senado

Senador denuncia fechamento de agências, que prejudicam cidades inteiras e ajudam a aumentar desemprego no país

O senador Jean Paul Prates (PT-RN) protocolou na quarta-feira, 24 de junho, o requerimento 1058/20, solicitando informações atuais ao presidente do Banco Central (Bacen), Roberto Campos Neto, sobre o fechamento de quase 300 agências bancárias em diversas localidades do país.

Prejuízo aos municípios

“Além de contribuir com demissões de bancários, a extinção de agências físicas eleva a sobrecarga aos bancários que continuam trabalhando nas unidades e torna o atendimento à população ainda mais precário, com aumento das filas. Além disso, muitos municípios ficam sem agência bancária trazendo transtornos aos moradores destas regiões afetadas e prejudicando a economia local”, afirma o vice-presidente da Contra-CUT Vinícius de Assumpção.

Segundo levantamento do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), com base em dados do Banco Central, 42% dos municípios do país não possui nenhuma agência bancária. Em 7% não existe qualquer tipo de atendimento bancário. Os dados mostram que, de janeiro a abril de 2020, foram fechadas 283 agências bancárias no país. Destas 194 foram fechadas após o início da pandemia.

 

Se aproveitando da pandemia

O documento entregue pelo senador petista (foto acima) destaca que, ”em meio a uma grave crise provocada pela pandemia do coronavírus, muitas agências foram fechadas definitivamente e algumas estavam situadas em locais com déficit de postos de serviços bancários, prejudicando a categoria, empresas, prefeituras e a população em geral”.
Ainda segundo o requerimento, “o fechamento das agências durante a pandemia tem dificultado, para muitas pessoas, o saque do auxílio emergencial de R$ 600. Atualmente, 376 municípios brasileiros não têm qualquer tipo de atendimento bancário (agência, posto de atendimento ou caixa eletrônico), o que obriga seus moradores a terem que se deslocar para outras cidades para receber o auxílio”.
“Os bancos se aproveitam da tragédia da pandemia para fechar unidades físicas em definitivo, contribuindo com o crescimento do desemprego e da crise no país através de demissões em massa, lançando famílias inteiras à própria sorte”, critica Vinícius.

Fonte: SindBancarios/RJ e Senado Federal, com edição Imprensa SindBancários – Foto: Senado Federal

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FACEBOOK

SERVIÇOS

CHARGES

VÍDEOS

O BANCÁRIO

TWITTER