Família de Banrisulenses teme mudanças nas investigações de morte de jovem em festa em 2013

 

Uma família de Banrisulenses enfrenta um drama e está em sofrimento. Em 2013, o filho de Jussara Fösch, da Unidade de Desenvolvimento de Sistemas do Banrisul (UDS), e de Júlio César Rodrigues dos Santos, da Banrisul Cartões S/A, morreu em um hospital de Porto Alegre. A morte do adolescente Eduardo Vinícius Fösch dos Santos, 17 anos, está sendo investigada pelo Ministério Público. Há suspeitas e provas, obtidas através de uma perícia particular contratada pela família, que apontam para uma morte em consequência de agressões sofridas durante uma festa. Estes resultados mudaram os rumos da investigação. Agora os pais temem que a saída do caso da promotora responsável pelo caso acarrete em mais atrasos no andamento do processo.

A pedido dos pais de Eduardo, o SindBancários publica um apelo.

Abaixo, segue a íntegra de um texto enviado pelos familiares à diretora de comunicação eleita, Ana Guimaraens.

Passado um ano, a família de Eduardo Vinícius Fösch dos Santos, que morreu em uma festa em 2013 na Zona Sul de Porto Alegre, através da contratação de uma perícia particular, conseguiu o apoio da Promotora Dirce Soler, da 2ª Vara do Júri de Porto Alegre, para reabertura do processo no dia 20 de junho.

Com base no laudo do perito criminalístico, aposentado do Instituto Geral de Perícias (IGP), Celso Menezes Danckwartdt, que apontou indícios de forte agressão ao adolescente antes da queda, a Promotora defendeu na imprensa que a morte do adolescente se tratava de um fato criminoso, assumindo, assim, uma investigação própria envolvendo novas perícias, quebras de sigilos telefônicos, entre outras medidas necessárias à conclusão do trabalho.

Porém, devido a uma promoção publicada no DOMP, através do Edital 314/2013 pelo Ministério Público, no dia 15/07/2014, é procedimento legal que Dirce seja afastada da condução das investigações nos próximos dias. Com a nomeação de um novo promotor, Jussara Fösch e Júlio César Rodrigues dos Santos, pais do adolescente, temem mudanças no rumo das investigações ou até paralisação das mesmas, não sendo as causas da morte de Eduardo Fösch totalmente esclarecidas, podendo prevalecer a injustiça, sem a punição dos responsáveis, tendo havido a agressão intencional.

Na noite de 27 de abril de 2013, Eduardo Vinícius Fösch dos Santos, de 17 anos, foi até uma casa onde ocorria uma comemoração entre amigos, no condomínio Jardim do Sol, em Porto Alegre. No outro dia, pela manhã, foi encontrado quase inconsciente no pátio vizinho. Depois de nove dias internado no hospital, o garoto morreu com traumatismo craniano. Os pais exigem esclarecimento e justiça.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FACEBOOK

SERVIÇOS

CHARGES

VÍDEOS

O BANCÁRIO

TWITTER