Em audiência pública com Paim em Ijuí, Perondi fala, é vaiado e foge do debate após dizer que ia ao banheiro

Com um auditório lotado de pessoas que disputavam cadeiras, se acotovelavam em pé, ou mesmo se acomodavam sentadas no chão, o Sindicato dos Trabalhadores do Comércio de Ijuí foi palco na tarde do sábado, 18/3, de um importante e “quente” debate sobre o tema do momento: Reformas Previdenciária e Trabalhista. A audiência pública promovida pela Câmara de Vereadores de Ijuí, com o apoio do movimento sindical, OAB, Associação de Aposentados e DCE da Unijuí vai ficar na história desta importante cidade da região Noroeste do RS.

Participaram do evento dezenas de entidades e cerca de 400 trabalhadores de Ijuí e municípios vizinhos, entre elas ligadas aos professores e aos agricultores rurais. Estavam presentes os deputados federais Elvino Bohn Gass (PT), Dionilso Marcon (PT), Pompeu de Matos – Presidente Estadual do PDT, além do deputado estadual Jeferson Fernandes (PT) e vereadores de diversos partidos.

As entidades se manifestaram todas afinadas em um discurso contrário às propostas de reformas previdenciária e trabalhista que tramitam no Congresso Nacional e que tiveram na figura do deputado federal Darcísio Perondi (PMDB), vice-líder do Governo Temer, o seu representante de defesa. Perondi é natural de Ijuí e teve de enfrentar em sua base eleitoral uma série de ofensas, inclusive de alguns presentes que disseram estar arrependidos de terem votado no deputado, como a professora Carolina Sausen. “Já votei no Perondi pelo que ele já fez por Ijuí, mas não voto nunca mais devido a essa postura em defesa do governo golpista e contrário aos interesses dos trabalhadores brasileiros. Hoje sinto vergonha de Perondi ser o representante de Ijuí e acredito que ele não se elege mais nem para vereador”, afirmou a professora que assistia à audiência pública.

Recebido ao grito de “golpista” e “Perondi, vergonha de Ijuí”, o deputado teve uma postura de desdém e demonstrava claramente em suas feições de deboche que pouco se importava com a opinião dos presentes. Perondi enfrentou uma plateia indignada com relação à postura adotada pelo deputado na defesa intransigente do governo Temer.

Perondi teve dificuldade de falar aos presentes, que mostravam claramente posição contrária às reformas de Temer. Apesar do mediador, vereador Beto Noronha, solicitar silêncio e calma à plateia, Perondi teve dificuldade de falar, se mostrou confuso e fez uma fraca defesa das medidas que o governo Temer quer aprovar no Congresso Nacional. Chamado de “mentiroso” pela plateia, Perondi terminou os seus 15 minutos de discurso sob vaias.

Deputado diz que vai ao banheiro, mas foge do debate sem ouvir fala de Paim

Após a sua fala, o deputado Perondi avisou o senador Paulo Paim que iria até o banheiro e voltaria para ouvi-lo, fato que não ocorreu. Ao ver o deputado fugir sem ouvir as argumentações de Paim ao discurso sem consistência do vice-líder do governo Temer, a plateia gritava para que ele ficasse, fato que não ocorreu.

Em sua fala, Paim lamentou a ausência do deputado no momento de ouvir os argumentos do senador, que trabalha há 30 anos com esse tema. De forma muito criativa e irônica, Paim se dirigiu a presentes levantando a cadeira vazia que estava ao seu lado e era ocupada pelo deputado Perondi e declarou “esta cadeira aqui colocou um artigo em uma MP para regular a terceirização da atividade-fim”.

Esse projeto está na pauta da Câmara dos Deputados para ser votado nesta terça-feira, dia 21. Paim é o relator do projeto no Senado e viajou os 26 estados e o Distrito Federal, ouvindo os envolvidos na questão da terceirização. O relatório de Paim proíbe a terceirização da atividade-fim e estende aos trabalhadores terceirizados os benefícios concedidos aos demais trabalhadores.

Sistema financeiro é o maior interessado nas reformas de Temer

Paim citou que, além de acabar com o Ministério da Previdência, o Governo Temer nomeou para o cargo de Secretário da Previdência, Marcelo Caetano, que é conselheiro remunerado do BrasilPrev, maior grupo de previdência privada do país. “Não se pode servir a dois senhores ao mesmo tempo. O povo não é idiota, essa proposta é para o povo pagar a previdência a vida toda e não poder se aposentar. Não, não às reformas!”, afirmou o senador.

Paim finalizou a sua fala numa tarde que vai ficar na história de Ijuí. “Eu vou dedicar os últimos anos da minha vida fazendo campanha não para me reeleger, mas para não eleger os deputados e senadores que votarem a favor das reformas. Paim foi mais uma vez aplaudido de pé e ovacionado por toda a plateia que gritava: “Paim, orgulho povo gaúcho!”.

Fonte: Imprensa/Senado

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FACEBOOK

SERVIÇOS

CHARGES

VÍDEOS

O BANCÁRIO

TWITTER