Documentário sobre ocupação de escolas em SP em 2015 estreia no CineBancários

Filme mostra movimento secundarista que ocupou mais de 200 escolas em SP, inserindo-se na história de lutas estudantis

O CineBancários traz a Porto Alegre, a partir do dia 15 de agosto, na sessão das 19h, o documentário “Espero tua (re)volta”, de Eliza Capai. Vencedor do prêmio da Anistia Internacional e Prêmio da Paz no Festival de Berlim deste ano, onde fez sua estreia mundial na Mostra Generation 14Plus, o filme entra em cartaz em Porto Alegre no Cine Bancários e terá entrada gratuita para estudantes de escolas públicas (mediante comprovação) em todas as sessões. Produzido pela TVa2, e coproduzido pela GloboNews e Globo Filmes, já recebeu diversos prêmios nacionais e internacionais e foi exibido em mais dez festivais.

Lutas estudantis

Sob o ponto de vista de três secundaristas – Marcela Jesus, Nayara Souza e Lucas Penteado – que participaram da ocupação de mais de 200 escolas em São Paulo em 2015, o longa reflete sobre a recente e intensa história brasileira a partir das lutas estudantis. Eles protestavam contra a reorganização escolar anunciada pelo governo paulista, por uma escola pública de qualidade. “A primeira vez que eu entrei numa ocupação tinha a intenção de ficar poucas horas, mas mal pisei lá dentro e minha cabeça deu um nó. Acabei dormindo na ocupação e saí de lá com a certeza que precisava fazer um filme sobre aquela geração”, conta a diretora. O documentário aborda também os eventos de 2013, o processo de impeachment de Dilma Rousseff em 2016, e a vitória de Jair Bolsonaro na eleição para Presidente da República em 2018.

Diferentes pontos de vista

Partindo de pontos de vistas diferentes, os personagens do filme têm em comum o ativismo por um ensino público de qualidade e uma cidade mais inclusiva. A necessidade de comunicar essa luta foi determinante para que topassem participar da história. “Este filme pode educar pessoas sobre os seus direitos principais: contestar algo que não te supre, manifestar sobre algo que não te representa, principalmente quando se trata de política e educação,” nos diz Koka, um dos personagens do filme.

Além dos prêmios recebidos em Berlim, “Espero tua (re)volta” também foi eleito melhor documentário nos festivais FICIP (Festival Internacional de Cine Político), na Argentina, na Mostra de Cinema Llatinoamericà de Catalunya, na Espanha, e no Sneakers Film Festival for Children and Youth, na Polônia. Recebeu também o Grand Prix no Internacional Festival of Red Cross and Health Films, na Bulgária, o Prêmio Olhar, na Mostra Festival Olhar de Cinema, em Curitiba, e os prêmios de melhor roteiro, melhor montagem, prêmio da crítica e melhor filme no Cine PE, em Recife. 

O filme foi realizado através da Lei de Audiovisual, em conjunto com investimentos do Fundo Setorial (BRDE/Ancine) e parceria com o Canal Curta!.

Sinopse

Quando a crise se aprofundou no Brasil, os estudantes saíram às ruas e ocuparam escolas protestando por um ensino público de qualidade e uma cidade mais inclusiva. “Espero tua (re)volta” acompanha as lutas estudantis desde as marchas de junho de 2013 até a vitória do presidente Jair Bolsonaro em 2018. Inspirada pela linguagem do próprio movimento, o filme é conduzido pela locução de três estudantes, representantes de eixos centrais da luta, que disputam a narrativa, explicitando conflitos do movimento e evidenciando sua complexidade.

Sessão especial com debate dia 20/08

Sessão especial de Espero Tua (Re)volta em Porto Alegre

Cine Bancários, 20 de agosto, terça-feira, às 19h

Seguida de debate com:

Januária Tinoco: Estudante secundarista, militante da União da Juventude Comunista e membro do Grêmio Estudantil do Padre Reus.

Rene Loreno: Ex-secundarista autonomista, estudante de Ciências Econômicas da UFRGS

* Entrada gratuita | Ingressos distribuídos 30min antes da sessão| R. Gen. Câmara, 424 – Centro Histórico, Porto Alegre – RS

FICHA TÉCNICA:

ESPERO TUA (RE)VOLTA (Your Turn)

2019, Longa-documentário, 93′, Brasil

Direção e roteiro: Eliza Capai

Produção e Produção Executiva: Mariana Genescá

Narrado e escrito com a colaboração de: Lucas “Koka” Penteado, Marcela Jesus e Nayara Souza

Assistente de Produção Executiva: Jacqueline Melo

Montagem: Eliza Capai e Yuri Amaral

Fotografia: Bruno Miranda e Eliza Capai 

Documentaristas 2015: Caio Castor e Henrique Cartaxo/Jornalistas Livres

Trilha Sonora Original: Décio 7 

Edição de Som e Mixagem: Confraria de Sons & Charutos

Finalização: Clandestino

Arte e Letreiros: Bijari

Criação e lambe Cartaz: Zé Vicente

Foto cartaz: Carol Quintanilha

Tradução e legendas inglês: Paula Bara

Produção: TVa2

Coprodução: Globo Filmes / Globonews

Produtor Associado: Usina de Imagem

Fomento: BRDE / FSA / Ancine

Parceiro: Curta! 

Distribuição: Taturana

A frase “Espero tua (re)volta” foi criada em 2015 por Leto William, como parte da sua série de cartazes intitulada “escritório”

PRÊMIOS:

– Prêmio da Anistia Internacional e Prêmio da Paz – Festival de Berlim (Alemanha), fevereiro 2019

– Melhor Documentário – FICIP, Festival Internacional de Cine Político  (Competencia Oficial de Largometrajes Internacionales) – Argentina, maio 2019

– Melhor Documentário / Prêmio de Público – Mostra de Cinema Llatinoamericà de Catalunya (Sección Oficial de Documentales) – Espanha, junho 2019

– Melhor Filme – Cinema in Sneakers Film Festival for Children and Youth  (Youth Feature Film Competition) – Polônia, junho 2019

– Grand Prix Award – Internacional Festival of Red Cross and Health Films  (Competition program documentaries), Bulgária, junho 2019

– Prêmio Olhar / Melhor filme brasileiro – Festival Olhar de Cinema (Curitiba, Brasil), junho 2019

– Melhor Roteiro / Melhor montagem / Prêmio da Crítica / Melhor Filme – Cine PE (Recife, Brasil), agosto 2019

FESTIVAIS:

– Festival de Berlim (Mostra Generation 14plus) – Alemanha, fevereiro 2019

– BAFICI (Mostra Direitos Humanos) – Argentina, abril 2019

– FICIP – Festival Internacional de Cine Político (Competencia Oficial de Largometrajes Internacionales) – Argentina, maio 2019

– Muestra de Cine Latinoamericano Araguaney – Espanha, maio 2019

– Seattle International Film Festival (Ibero-American Competition) – EUA, junho 2019

– Barcelona Women International Film Festival – Espanha, junho 2019

– Mostra de Cinema Llatinoamericà de Catalunya (Sección Oficial de Documentales) – Espanha, junho 2019

– Cinema in Sneakers Film Festival for Children and Youth (Youth Feature Film Competition) – Polônia, junho 2019

– Sheffield Doc/Fest (indicado ao Tim Hetherington Award) – Reino Unido, junho 2019

– International Festival of Red Cross and Health Films (Competition program documentaries), Bulgária, junho 2019
– Olhar de Cinema (Mostra Outros Olhares) – Brasil, junho 2019

– Cine PE – Brasil, agosto 2019

ELIZA CAPAI – DIRETORA

Eliza Capai é jornalista formada pela Universidade de São Paulo (ECA/USP), e foi bolsista do OpenDocLab no MIT (Massachussets Institute of Technology). Atua como documentarista com temáticas relacionadas a gênero e sociedade.

Seu primeiro longa metragem, “Tão longe é aqui” (2013), estreou no Festival do Rio com prêmio de melhor filme (Mostra Novos Rumos). O documentário reflete sobre ser mulher a partir de uma viagem de sete meses pela África.

Seu segundo filme, “O jabuti e a anta” (2016), investiga as gigantes hidrelétricas amazônicas, durante a maior seca brasileira em décadas.

Eliza lança na Mostra Gerações da Berlinale seu novo filme. “Espero tua (re)volta” (2019) acompanha três ex-secundaristas tentando entender a partir das lutas estudantis o que aconteceu no Brasil nos últimos anos. O filme recebeu o Prêmio da Anistia Internacional e o Prêmio da Paz e segue circulando por festivais e recebendo prêmios, entre eles o Prêmio de Melhor Filme em sua estréia nacional no Olhares de Cinema.

PERSONAGENS:

Lucas Koka era presidente do grêmio da sua escola, Caetano de Campos, quando ela foi ocupada. Ele ficou popular no movimento pois criava músicas e poesias que viralizaram na internet. Foi diversas vezes campeão do Slam Resistência, com apresentações emocionantes na Praça Roosevelt, falando sempre de racismo e união do povo negro. Integrou o elenco da novela “Malhação- Viva a Diferença”, da Rede Globo, em 2017, e hoje apresenta o programa “NBA Freestyle”.

Marcela Jesus tem 19 anos e ocupou sua própria escola contra o projeto de reorganização escolar do governo do Estado de São Paulo em 2015 e 2016. É atriz na ColetivA Ocupação e se apresentou na Mostra Internacional de Teatro de São Paulo com a performance “Só me convidem para uma revolução onde eu possa dançar”, em 2017. Desde o ano passado atua e dança na peça “Quando Quebra Queima”.

Nayara Souza construiu sua militância estudantil na luta na União da Juventude Socialista (UJS). Liderou a luta contra o roubo da merenda escolar, na ocupação da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (ALESP), contra as privatizações da gestão de João Doria na capital paulista e contra os cortes do passe livre estudantil, na ocupação da Câmara Municipal de SP. Atualmente é presidenta da União Estadual dos Estudantes de São Paulo (UEE SP), entidade filiada a UNE, na gestão 2017-2019.

TVA2 – PRODUTORA

A TVa2 é uma produtora independente de filmes focada na realização de documentários com temáticas sociais e políticas.

Em TV, já exibiu suas produções em diversos canais no Brasil e também no exterior, como BBC, RTP e Aljazeera.

Em cinema, o longa ‘O Estopim’ (2014), sobre a ocupação militarizada das favelas do Rio, entre outros importantes prêmios e festivais, venceu o Grand Prix do Festival Internacional de Televisão de São Paulo.

O longa anterior, ‘Cortina de Fumaça’ (2010), sobre política de drogas, participou de mais de 20 festivais e integra a lista internacional dos “11 documentários que podem mudar a sua visão do mundo”, publicada pela Revista Galileu e pelo blog Hypeness.

Atualmente, a TVa2 lança a sua mais recente produção, o longa “Espero tua (re)volta” (2019), de Eliza Capai, na Mostra Generation 14plus do Festival Internacional de Berlim.

https://www.facebook.com/tva2producoes/

TATURANA MOBILIZAÇÃO SOCIAL – DISTRIBUIDORA

A Taturana é uma distribuidora de filmes com foco em impacto social. Fundada em 2013, vem trabalhando com circuitos comerciais e não comerciais com o objetivo de democratizar o acesso ao cinema e potencializá-lo como ferramenta de impacto social. Além dos circuitos tradicionais, atua com uma rede de parceiros exibidores em todo o país constituída por universidades, escolas, centros culturais, cineclubes, equipamentos públicos, entre outros. Também concebe e realiza projetos de impacto a partir de obras audiovisuais.

www.taturanamobi.com.br

GLOBONEWS E GLOBO FILMES – COPRODUTORAS

A associação entre a GloboNews e a Globo Filmes tem entre seus principais objetivos formar plateias para o documentário e, em consequência, ampliar o consumo desses filmes nas salas de cinema. A parceria tem contribuído para um importante estímulo ao documentário no Brasil, onde o gênero ainda tem pouca visibilidade quando comparado aos demais países. A iniciativa visa o fortalecimento e a promoção dentro do mercado audiovisual brasileiro, através da coprodução e da exibição desses longas.

O projeto completa cinco anos em 2019 e a parceria estimula a criação de longas-metragens que, após a exibição nas salas de cinema, vão ao ar na emissora. Ao longo desse período, os filmes foram vistos por mais de seis milhões de pessoas no canal por assinatura e o alcance médio das produções foi de 450 mil telespectadores por exibição.

Foram lançados filmes como Brasil: DNA ÁfricaCidades Fantasmas, vencedor do Festival É Tudo Verdade 2017, Slam: Voz de Levante e Pitanga, premiados respectivamente nos Festivais do Rio e de Tiradentes em 2017, e A Corrida do Doping até o momento, o filme mais visto na faixa da GloboNews.

Outros destaques foram o longa coletivo 5 x Chico – O Velho e Sua Gente, sobre comunidades banhadas pelo Rio São Francisco, selecionado para quatro festivais internacionais na França; Tim Lopes – Histórias de Arcanjo, sobre a trajetória do jornalista morto em 2002; Betinho – A Esperança Equilibrista, que narra a vida do sociólogo Herbert de Souza, Menino 23, que acompanha a investigação do historiador Sidney Aguilar a partir da descoberta de tijolos marcados com suásticas nazistas em uma fazenda no interior de São Paulo, ambos vencedores do Grande Prêmio do Cinema Brasileiro em 2016 e 2017, respectivamente; Setenta, de Emília Silveira, sobre a militância política nos anos 1970, que recebeu dois prêmios no 8º Festival Aruanda (Paraíba), incluindo o de Melhor Filme pelo júri popular; e o premiado Meu nome é Jacque, de Angela Zoé, que enfoca a diversidade sexual a partir da experiência da transexual Jacqueline Rocha Cortês, eleito o Melhor Longa Nacional pelo júri do Rio Festival de Gênero & Sexualidade no Cinema 2016.

Entre 2018 e 2019, são mais de 65 filmes em produção, envolvendo mais de 60 produtoras de diferentes regiões do país, ajudando a fomentar o mercado.

 

C i n e B a n c á r i o s 

Rua General Câmara, 424, Centro 

Porto Alegre – RS – CEP 90010-230 

Fone: (51) 34331205

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FACEBOOK

SERVIÇOS

CHARGES

VÍDEOS

O BANCÁRIO

TWITTER