Dirigentes bancários percorrem agências do Centro em caravana de mobilização

Mobilização antecede tradicional Caminhada dos bancários, marcada para esta sexta (5)

Nesta quinta-feira (04), dirigentes saíram da Casa dos Bancários, na rua General Câmara, rumo a diferentes agências do Centro da Capital, para mobilizar os trabalhadores bancários em torno das pautas da Campanha Salarial deste ano. Foram visitadas unidades do Banrisul, Banco do Brasil, Caixa, Bradesco, Santander e Itaú. A caravana motivou os funcionários dos bancos a participarem da Caminhada dos Bancários, que ocorre nesta sexta-feira (5), às 12h, com concentração em frente a Agência Central do Banrisul, na Praça da Alfândega.

Este ano, os trabalhadores e trabalhadoras bancárias lutam por um aumento real de 5% acima da inflação (INPC), reajuste diferenciado dos vales Refeição e Alimentação, manutenção das cláusulas sociais da última Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) e dos ACTs específicos, além do apelo pelo fim do assédio moral e sexual nas agências e escritórios. Durante a manhã, diretores e diretoras conversaram com trabalhadores sobre a situação das mesas de negociação com bancos, incentivando os bancários a unirem-se nas mobilizações da campanha salarial. Foi distribuída também a edição mais recente do jornal O Bancário, que pelos próximos 30 dias, contará com números semanais durante as negociações para atualizar os trabalhadores quanto ao andamento das tratativas com os banqueiros.

Defesa dos bancos públicos em foco

Banrisul

No prédio da Direção Geral do Banrisul, onde a comitiva percorreu os andares dialogando com os funcionários sobre as pautas mais importantes, foi destacada a urgência de concurso público e o fim do assédio moral, que segue preocupando os bancários.

“A realização do concurso público é prioridade na nossa pauta, já que tivemos, no último Plano de Demissão Voluntário (PDV), uma saída em massa de colegas, e não tivemos essa reposição. Agora, o banco vem, novamente, com essa pauta de PDV, precarizando o trabalho com a saída de mais funcionários. Os colegas estão sobrecarregados, a rede está sobrecarregada. É inadmissível”, denunciou a segunda secretária-geral do Sindicato, Sílvia Chaves.

O diretor da entidade, Gerson Reis, lembrou da importância do diálogo e da união dos trabalhadores bancários na manutenção dos direitos conquistados pela categoria, além de reforçar a luta contra a privatização do Banrisul. “Temos também a campanha em defesa do banco, porque não é vergonha nenhuma defendermos nosso emprego nem a existência do nosso banco público para o desenvolvimento do Estado. Por isso, precisamos nos unir”, convocou.

Banco do Brasil

As dirigentes sindicais Priscila Aguirres e Bia Garbelini, em visita à agência do Banco do Brasil, salientaram que foram bem recebidas pela categoria e perceberam a expectativa dos colegas bancários em saber como está a campanha salarial. “Vimos que estão interessados em saber como vai se desenrolar a campanha, preocupados também com temas como assédio e segurança bancária. É muito importante esse contato com os colegas nas agências, esclarecendo e explicando essa estratégia da Fenaban de inúmeras mesas, apertando o prazo para renovação do nosso acordo até 31 de agosto”, pontuou Priscila.

Caixa

No edifício Querência da Caixa Econômica Federal, uma comitiva formada pelas representantes bancárias Simoni Medeiros, Sabrina Menezes, Caroline Haidner e Bia Garbelini abriu diálogo com os trabalhadores do banco sobre as pautas específicas da instituição e chamou os colegas para a caminhada. Segundo a diretora Jurídica do SindBancários, Simoni Medeiros, os bancários estão em campanha salarial mas também em uma campanha por direitos. “Um dos direitos que está sendo desrespeitado pela Caixa é a segurança bancária. Em reunião com a Polícia Federal, descobrimos que, de 42 pedidos de retirada de vigilante, 41 são da Caixa. O banco quer retirar nossa segurança, deixando o colega e o cliente em vulnerabilidade. Não podemos permitir isso”, sinalizou a dirigente.

Combate à sobrecarga e ao assédio moral nos bancos privados

Bradesco

No Bradesco, o vice-presidente da CUT-RS, Everton Gimenis, e o diretor do SindBancários Eduardo Lobão atualizaram os funcionários do banco quanto ao andamento das reivindicações deste ano, e convocaram bancários e bancárias para a caminhada, atividade de arrancada da campanha, que busca o aumento real de 5%, a reposição da inflação, aumento nos tickets e respeito à categoria.

“Pudemos conversar também sobre a intransigência dos banqueiros, que mais uma vez não apresentaram proposta na mesa de negociações, pelo contrário, só dificultaram. Exigimos tratamento digno para os colegas e o fim do assédio moral, que prejudica trabalhadores de todos os bancos”, pontuou Gimenis.

Santander

No Santander, a diretora do SindBancários Carmen Guedes conversou com trabalhadores e entregou exemplares d’O Bancário. Segundo ela, muitos colegas se interessaram em participar do ato desta sexta-feira, pois entendem que, nesta ocasião, saberão detalhes sobre o andamento das negociações com os bancos privados.

Itaú

O diretor do SindBancários Eduardo Munhoz esteve em algumas agências do Itaú e destacou a boa receptividade da mobilização desta quinta. “Conversamos com os colegas e atualizamos o pessoal sobre o andamento das mesas de negociação. Dada a dificuldade encontrada no avanço das negociações, o banco já preparou os colegas para uma possível greve, caso o impasse nas tratativas se confirme”, compartilhou o dirigente.

Texto: Amanda Zulke, com edição de Manoela Frade

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FACEBOOK

SERVIÇOS

CHARGES

VÍDEOS

O BANCÁRIO

TWITTER