Direção da Caixa quer invalidar carreiras no banco

Direção do banco implementa reestruturação antes de qualquer negociação com empregados

A direção da Caixa ignora o processo negocial com os trabalhadores, e além de anunciar seu projeto de reestruturação, limita prazos de inscrição para os empregados antes da data agendada pelo banco para tratar do assunto. Na segunda-feira, 10/02, dois dias antes da mesa de negociação, o banco divulgou uma apresentação com as alterações e os prazos. A reunião da quarta-feira, 12, foi agendada pela própria direção do banco público, em resposta aos ofícios enviados pela Contraf-CUT, cobrando explicações e cumprimento da cláusula 48 do ACT sobre o processo de reestruturação, que exige prévia negociação.

“A Caixa marcou uma reunião conosco para quarta-feira, mas na segunda-feira soltou essa apresentação na qual dá um prazo mínimo para que os empregados, interessados em mudanças na nova rede de varejo, se manifestem… É um completo desrespeito com os trabalhadores”, cobrou Dionísio Reis, coordenador da Comissão Executiva dos Empregados (CEE) da Caixa.

Descomissionamento sumário
A reestruturação é um processo de descomissionamento sumário, com novos processos seletivos e novos critérios, o “Revalida”, que excluem quem está de licença-maternidade, licença-médica ou de férias. Exclui também quem esteve de licença e não participou dos ciclos da Gestão de Desempenho de Pessoas (GDP) nos últimos períodos. Segundo a apresentação do banco, será uma dança das cadeiras em que os cargos superiores terão prioridade. Nesse processo, a Caixa rebaixa os trabalhadores sem garantir lisura em nenhum processo e discriminando milhares de trabalhadores.

Estabilidade remuneratória

Bom lembrar que os empregados têm um direito que vem da Constituição e que para os empregados foi firmado no normativo RH 151 que a direção do banco tentou revogar no dia 9 de novembro de 2017, véspera da entrada em vigor da reforma trabalhista. Mas ação da Contraf-CUT garantiu a manutenção por liminar do RH e do direito a incorporação de função para os trabalhadores que desempenharam por 10 anos – ação que aguarda sentença e discute a incorporação da norma mais benéfica ao contrato de trabalho dos empregados.

Dia 13: vista preto

Na próxima quinta-feira, 13/02, os empregados da Caixa se mobilizam no Dia Nacional de Luta contra a Reestruturação. “É fundamental que o maior número de empregados participe dessas mobilizações para debater o processo e encontrar formas de barrar essas mudanças que certamente estão impactando negativamente os trabalhadores, que serão afetados por mais uma reestruturação do banco. Está claro que a direção não respeita os empregados. Só unidos vamos mostrar nossa força”, convocou Dionísio Reis, coordenador da CEE/ Caixa. #ACaixaÉtodaSua

Fonte: Contraf-CUT/ Fenae

 

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FACEBOOK

SERVIÇOS

CHARGES

VÍDEOS

O BANCÁRIO

TWITTER