Dia Nacional de Luta: SindBancários fecha agências de Porto Alegre e Região contra abusos do Santander

Manifestação nacional reivindica mais contratações, respeito à vida e melhores condições de trabalho para bancários e bancárias da rede espanhola

Nesta terça-feira, 29 de março, em Dia Nacional de Luta, o Sindicato dos Bancários de Porto Alegre e Região (SindBancários) fechou 25 agências de sua base em protesto aos abusos cometidos pelo banco espanhol Santander no Brasil. Bancários e bancárias do Santander reivindicam mais contratações, respeito à vida e melhores condições de trabalho. Os(as) trabalhadores(as) protestam também contra as demissões, metas abusivas e a decisão da direção do Santander Brasil de convocar para o retorno presencial as gestantes e bancários do grupo de risco.

De acordo com a entidade, o banco demitiu trabalhadores no auge da pandemia, inclusive doentes, desrespeita a jornada dos bancários, sem pagar hora extra, não cumpre acordos, inclusive indo contra a legislação brasileira, além de fechar agências e setores bancários, ampliando a terceirização. O movimento sindical reivindica respeito aos acordos coletivos e à jornada de trabalho, mais contratações, bem como a continuidade do teletrabalho para grupos de risco e dos protocolos de prevenção à Covid-19.

Presente na mobilização, a diretora da Fetrafi-RS, Denise Côrrea, falou sobre a importância de o banco respeitar a vida dos(as) bancários(as) e a jornada de trabalho de seis horas. “O Santander é um banco internacional que explora os trabalhadores brasileiros, uma vez que grande parte do seu lucro não fica no Brasil. Além disso, desrespeita as leis trabalhistas que foram conquistadas pelo povo, chamando bancários para trabalhar aos finais de semana, sem hora extra”, declarou.

Durante o ato, o secretário-executivo do SindBancários e empregado do Santander, Luiz Cassemiro, afirmou que o Santander segue descumprindo os acordos assinados e desrespeitando seus trabalhadores. “As metas abusivas têm gerado cada vez mais o adoecimento físico e psíquico, ocasionando o burnout e depressão; colegas estão, cada vez mais, tomando antidepressivos para poder tocar seu dia dentro das agências bancárias. É lamentável essa postura”.

A ação foi encerrada às 12 horas e o atendimento normalizado. O secretário-executivo agradeceu aos colegas bancários, clientes e população, “que entenderam esse movimento em defesa do trabalhador”. O SindBancários pede que toda irregularidade nas agências seja informada para a entidade e/ou dirigentes, com garantia de sigilo. “Estaremos sempre à frente nessa luta por melhores condições de trabalho, mais contratações, fim do assédio moral e das metas abusivas”, reforça Cassemiro.

 

Confira mais vídeos e fotos da cobertura dos atos no Instagram do SindBancários.

Texto: Amanda Zulke   

 

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FACEBOOK

SERVIÇOS

CHARGES

VÍDEOS

O BANCÁRIO

TWITTER