Decreto de Viamão dá exemplo de combate à pandemia nos bancos

Prefeitura impõe maior restrição a aglomerações em agências bancárias ao cobrar implantação de protocolos sanitários mais rígidos, como organização de filas externas, e recomendar ampliação do horário de atendimento presencial nas agências

O Decreto 006, de 12 de janeiro deste ano, não se reporta especificamente aos bancos que têm agências em Viamão. Mas deixa bem claro que os protocolos sanitários de proteção à vida mais rígidos, quando o coronavírus volta a se espalhar rapidamente e ceifar mais vidas pela Covid-19, têm os bancos como alvo. E mais: se o decreto não for cumprido haverá multa

O SindBancários deixa bem claro aos colegas bancários(as) que apoia as medidas mais rígidas do novo decreto e vai adiante. As obrigações e recomendações deveriam servir de modelo para outros municípios do estado e ate do país.

Foi o que o presidente do SindBancários, Luciano Fetzner e o diretor, Jairo Severo Soares, demonstraram em reunião por videoconferência com integrantes da comissão Organizacional de Emergências (COE) do município na manhã da terça-feira, 26/1, ao se colocarem à disposição para fazerem esclarecimentos aos(às) bancários(as).

O coordenador do COE de Viamão, Cristiano Nunes Schwuchow Júnior, afirmou que o município tem autonomia para alterar os horários dos bancos via decreto. “A responsabilidade pela fila é do banco, mesmo do lado de fora do estabelecimento. A redução do horário de atendimento gera filas muito grandes nas agências principalmente na parte da manhã”, detalhou Cristiano.

Outra integrante do COE, a Procuradora Geral Substituta do Município, Bárbara Leme, diz que um dos objetivos fundamentais do decreto é voltar à vida normal.

“Queremos voltar à vida normal o mais rápido possível. Queremos reeducar as pessoas para que elas pensem nas consequências. O que a gente quer é não precisarmos chegar ao ponto de novamente termos que fechar tudo”, explicou.

Quanto ao respeito ao decreto de Viamão pelos bancos, a procuradora foi enfática. “Os bancos serão multados. E em caso de reincidência, a multa será em dobro”, acrescentou Bárbara.

O decreto faz algumas recomendações que o movimento sindical cobra dos bancos via mesas de negociação desde que a pandemia surgiu e se consolidou a partir de março do ano passado.

Uma das recomendações diz respeito à obrigação dos bancos organizarem as filas internas e externas. Desde o decreto, os bancos estão obrigados a marcar o chão de fora das agências e orientar os clientes a manterem o distanciamento obrigatório de dois metros.

Ampliar atendimento bancários ajuda a reduzir aglomerações

Outra medida que merece apoio do Sindicato diz respeito aos horários de atendimento. O Decreto 006 recomenda que agências bancárias e outras atividades econômicas que não podem abrir mão do atendimento presencial alterem jornadas de trabalho, adequem seus regimes de escala, flexibilizem horários de entrada, saída, almoços e intervalos.

Os bancos leem essa recomendação como aumento de custo na mesma proporção em que precisarão aumentar o pagamento de horas extras para os(as) bancários(as).

Os dirigentes sindicais, desde que negociam com a Fenaban e com representantes de diretorias de bancos públicos e privados acordos coletivos emergenciais de teletrabalho, também fazem este alerta: ampliar a jornada significa reduzir aglomerações.

O presidente do SindBancários, Luciano Feztner, além de saudar as medidas como necessárias para enfrentar aquele que talvez possa ser o verdadeiro pico de Covid-19 de toda a pandemia, faz um lembrete aos bancos.

“O Sindicato está junto com a prefeitura de Viamão cumprindo seu papel de conscientizar os colegas bancários sobre a necessidade de proteção à vida”, salientou.

O presidente do SindBancários alerta os bancos para as consequências do não cumprimento dos artigos do Decreto. Os bancos serão autuados e multados.

“A redução de horário do atendimento presencial é um absurdo. O horário deveria é ser ampliado para diluir o atendimento. É claro que a redução dos horários de atendimento serve para os bancos reduzirem custos com o não pagamento de horas extras. Os bancos estão mais preocupados com custos do que com a vida”, complementou Luciano.

Para o diretor do SindBancários, Jairo Severo Soares, a preocupação do Sindicato está relacionada à saúde dos(as) bancários(as). “Nossa preocupação é com os bancários. Achamos louvável o decreto da prefeitura de Viamão. Vem em boa hora. Acreditamos que vai estimular outras prefeituras a adotar essas necessárias medidas”, comparou Jairo.

Leia a pintegra do Decreto da Prefeitura de Viamão.

Fonte: Imprensa SindBancários

 

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FACEBOOK

SERVIÇOS

CHARGES

VÍDEOS

O BANCÁRIO

TWITTER