CUT-RS organiza plantio de árvores no Grito dos Excluídos pelas vidas perdidas na pandemia

Atividade será transmitida ao vivo através da Rede Soberania e do Brasil Fato pelo Facebook

A CUT-RS, em conjunto com diversas entidades sindicais e movimentos sociais, está organizando o plantio de árvores nativas e frutíferas no 26º Grito dos Excluídos, que acontece na próxima segunda-feira, dia 7 de setembro, em memória às mais de 3.500 vidas perdidas na pandemia do coronavírus no Rio Grande do Sul.

Um ato simbólico, com ou sem chuva, será realizado pela manhã, das 10h às 12h, no Parque Pedro Antonio Maria, na Avenida Henrique Bier, 4076, em São Leopoldo, na Região Metropolitana de Porto Alegre. Os “berços”, onde serão colocadas as mudas, já estão sendo abertos pela Prefeitura. No local haverá o plantio de 80 árvores.

A atividade será transmitida ao vivo através da Rede Soberania e do Brasil Fato, em parceria com a CUT-RS e várias representações, no Facebook. Serão também exibidas manifestações de gritos por terra, teto, trabalho e participação, vídeos e apresentações musicais.

Também haverá distribuição de mudas para quem quiser plantar árvores na tarde deste sábado (5), das 12h às 16h, na sede do Sindipetro-RS, na Rua Lima e Silva, 818, no bairro Cidade Baixa. Após as 16h, será feito um plantio no Quilombo dos Alpes, na capital gaúcha.

Ainda estão sendo organizados em condomínios, cooperativas habitacionais e residenciais, bem como no interior gaúcho.

A iniciativa reforça também a campanha em andamento do MST, lançada no ano passado, que tem como meta plantar 100 milhões de mudas em todo o país, das quais 7 milhões no Estado.

Mobilização pela vida

“O plantio de árvores será o nosso gesto concreto neste momento de pandemia em que o Brasil e o Rio Grande do Sul perdem vidas humanas e insubstituíveis diante da política negacionista e genocida do governo Bolsonaro e da política de irresponsabilidade do governador Eduardo Leite (PSDB), que não faz testagem em massa para Covid-19 nem dos trabalhadores da saúde e agora quer apressar o retorno às aulas, colocando em risco a vida de educadores, alunos e seus familiares”, afirma o presidente da CUT-RS, Amarildo Cenci.

Haverá também plantio ao longo do mês, como no dia 21 de setembro. “Vamos incentivar as federações e sindicatos filiados, para que participem ativamente desta mobilização pela vida, a fim de não nos esquecermos da memória das vítimas da pandemia, da luta em defesa dos direitos, do meio ambiente que tanto sofre com a desmatamento e as queimadas na Amazônia, da democracia e da soberania nacional”, destaca Amarildo.

Para a secretária de Meio Ambiente da CUT-RS, Eleandra Koch, “plantar árvores é plantar a esperança de um futuro com justiça e dignidade para a população brasileira. Plantamos árvores como símbolo de luta e resistência contra o genocídio do governo Bolsonaro. Nenhuma vida e nenhuma árvore a menos”.

Fonte: CUT-RS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FACEBOOK

SERVIÇOS

CHARGES

VÍDEOS

O BANCÁRIO

TWITTER