CUT-RS marca plenária extraordinária de mobilização para 10 de novembro em Porto Alegre e ato contra as reformas na Esquina Democrática

No próximo dia 10 de novembro, ocorrerá o Dia Nacional de Paralisação. A mobilização, chamada pela CUT e demais centrais sindicais, tem como foco o protesto contra a retirada de direitos trabalhistas promovida pelo governo ilegítimo de Michel Temer (PMDB).

Esse governo sem votos, reprovado por quase 90% da população, está provocando um retrocesso no país sem precedentes, aprovou uma reforma trabalhista nefasta que, além de destruir a CLT e conquistas de décadas, compromete o futuro de toda uma nação”, afirmou Sérgio Nobre, secretário-geral da CUT Nacional.

Para ele, “dia 10 de novembro é dia de mostrar ao Brasil, ao Temer e ao Congresso Nacional que queremos emprego de qualidade, não um emprego qualquer, e que não aceitaremos essas reformas recessivas”.

Plenária Extraordinária de Mobilização da CUT-RS

Em Porto Alegre, face a necessidade de realizar um balanço da estratégia de enfrentamento da reforma trabalhista e a urgente tarefa de impedir que a reforma da previdência seja aprovada, a Direção Executiva da CUT/RS convoca todas as suas entidades sindicais para participar de uma Plenária Extraordinária de Mobilização, das 10h às 14h, no salão da Igreja da Pompéia, com a seguinte pauta:

a) Avaliar as nossas ações de resistência

b) Apresentação do manual de orientações técnico-políticas para barrar a implantação da reforma trabalhista.

c) Planejar ações para o próximo período: greve geral, caravanas da CUT, comitês sindicais e desgaste da base parlamentar golpista.

Cada entidade sindical com até 500 trabalhadores na base deverá indicar um delegado ou uma delegada. Entidade sindicais que possuem acima de 500 trabalhadores na base deverá indicar no mínimo 3 dirigentes sindicais.

As inscrições devem ser feitas na secretaria-geral pelo e-mail [email protected] indicando o nome da pessoa e o nome da entidade de base sindical.

Reiteramos que esta atividade é de suma importância e orientamos aos sindicatos a organizarem transporte solidário para economizar recursos e otimizar a participação de um maior número possível de dirigentes”, afirma o secretário-geral adjunto da CUT-RS, Amarildo Cenci.

Após a plenária, haverá um abraço simbólico à Justiça do Trabalho, às 16h, na Avenida Praia de Belas, junto ao TRT-RS. Depois, os participantes seguirão em caminhada até o centro da Capital, culminando com um grande ato com as demais centrais sindicais na Esquina Democrática.

São Paulo

As manifestações ocorrerão durante o dia inteiro em todo o país. Em São Paulo, para marcar a data, haverá uma manifestação na Praça da Sé, que seguirá até a Avenida Paulista.

Fonte: CUT-RS com CUT Nacional

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FACEBOOK

SERVIÇOS

CHARGES

VÍDEOS

O BANCÁRIO

TWITTER