CUT-RS, CPERS e servidores realizam vigília contra o pacotaço de Sartori nesta terça

A CUT, junto com o CPERS Sindicato e os servidores estaduais, promove uma vigília na Praça da Matriz, em Porto Alegre, nesta terça-feira (9), contra a aprovação do restante do pacotaço de maldades do governo Sartori (PMDB). A mobilização acontece a partir das 10h.

“Vamos colocar ‘horror’ na base aliada do Sartori dentro da Assembleia Legislativa”, afirma o presidente da CUT-RS, Claudir Nespolo.

Ele recorda que os parlamentares têm muito medo de serem denunciados em suas bases eleitorais. “Mas sabemos, também, que o Sartori tem pressionado para levar adiante o conjunto de pautas, que está parado na Assembleia, que retiram direitos, liquidam os sindicatos e vendem estatais”, sublinha.

“Por isso, venha você também pegar no pé deles”, convoca Claudir.

Terça é dia D

Para a diretora da CUT-RS e do CPERS, Sônia Solange Santos Viana, esta terça-feira será o dia D. “Precisamos de muita pressão na Praça”, ressalta a dirigente. Ela lembra que, além da PEC que retira a obrigatoriedade de plebiscito para a privatização da CEEE, da CRM e da Sulgás, estão em jogo inúmeras propostas que atacam direitos dos servidores.

“O Sartori quer acabar com a nossa licença-prêmio, com a obrigatoriedade de pagar em dia os salários, parcelar o nosso 13º e proibir a cedência de servidores para os sindicatos, o que enfraquece as entidades sindicais”, enumera Sônia, reforçando a necessidade da presença de muitos servidores na Praça.

Ela afirma ainda que espera que o pacotaço não vá à votação e, se for, que não tenha votos suficientes para aprovação. “O deputado que votar contra os trabalhadores não será reeleito em 2018, pois será denunciado na sua base como traidor”, anuncia.

Já a presidente do CPERS, Helenir Aguiar Schürer, salienta que é muito importante a participação dos professores e funcionários de escola. “A nossa pressão tem conseguido enfraquecer a base governista. Por isso, nesta terça-feira, estaremos novamente na Praça da Matriz. Não permitiremos que nenhuma PEC que ataque aos servidores seja votada e aprovada”, ressalta.

Confira os projetos que atacam diretamente os servidores e o patrimônio público:

-PEC 242/2015: extingue a licença-prêmio;

-PEC 256/2016: pretende acabar com os sindicatos;

-PEC 258/2016: acaba com os adicionais por tempo de serviço;

-PEC 257/2016: acaba com a obrigatoriedade de pagar em dia os salários e o 13º

Já a PEC 259/2016 retira a obrigatoriedade de plebiscito para a privatização da CEEE, da CRM e da Sulgás.

Fonte: CUT-RS com informações do CPERS Sindicato

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FACEBOOK

SERVIÇOS

CHARGES

VÍDEOS

O BANCÁRIO

TWITTER