Covid-19: Sindicato cobra vacinação dos bancários a municípios e ao Estado

SindBancários enviou vários ofícios e cartas a secretariais municipais das cidades de sua base, bem como órgãos de monitoramento e combate ao coronavírus, à Secretaria Estadual de Saúde e ao Ministério da Saúde

O SindBancários segue na luta para antecipar a vacinação dos bancários contra Covid-19. Nesta quarta, 9/6, o Sindicato enviou ofícios e cartas a todas as secretarias municipais de saúde de sua base, à Secretaria Estadual de Saúde do RS, ao Ministério da Saúde e órgãos regionais de enfrentamento ao coronavírus. Além de pedir a inclusão dos bancários entre as categorias prioritárias nos planos locais de vacinação, solicita audiências para fundamentar os pedidos.

Entre os dados encaminhados, está o crescimento dos desligamentos por morte na categoria. Dados do Diesse e do Caged mostram que, no 1º trimestre de 2021, houve um aumento de 176,4% nas mortes dos bancários em comparação com o mesmo período de 2020. No documento, o SindBancários explica que existe “uma evidente exposição aos riscos de contágio nestes ambientes e já se registram inúmeros casos de adoecimento, de afastamento do trabalho, internações hospitalares e de óbitos na categoria bancária, ainda com a possibilidade de proliferação da Covid-19 aos coabitantes e pessoas próximas”.

O presidente do SindBancários, Luciano Fetzner, entende que a vacinação dos bancários é de extrema urgência e lamenta que o governador do RS, Eduardo Leite, não esteja comprometido em buscar vacinas. “A Assembleia Legislativa aprovou uma Lei que permite ao governador Eduardo Leite remanejar verbas para comprar vacinas. Leite, entretanto, só fala em privatizar, tanto que trocou o PL que acaba com o plebiscito para venda do Banrisul, da Corsan e da Procergs por protocolos mais flexíveis contra a Covid. Se num primeiro momento centralizou todas ações contra a pandemia, agora joga toda responsabilidade no colo dos prefeitos. Ele deveria estar trabalhando por mais vacinas”, lamenta Luciano.

Na hora de trabalhar é essencial, na hora de vacinar, não?

Nos documentos, o Sindicato ainda lembra que os bancários passaram a ser categoria essencial no início da pandemia, por meio de decreto do presidente Bolsonaro, e que não deixaram de desempenhar suas atividades em nenhum momento durante a crise provocada pela Covid-19. Ressalta que os bancários “seguem em operação, entretanto, registrando filas e aglomerações dentro e fora das unidades bancárias”.
O Secretário Geral do SindBancários, Luis Gustavo Vargas Soares, lembra que os sindicatos vem, desde novembro, buscando incluir a categoria no Plano Nacional de Imunização (PNI). “Mesmo antes do governo divulgar o PNI, já buscávamos junto a Fenaban, deputados e ao próprio Ministério da Saúde a inclusão da categoria. Mas a luta pela vacinação dos bancários não está sendo feita somente no âmbito nacional, a exemplo de ações como essa, junto às prefeituras e órgãos de controle”, explica Luis.
Os ofícios solicitando reuniões e a inclusão dos bancários no Plano de Vacinação foram enviados para o Ministério da Saúde, Secretaria Estadual de Saúde do RS,  Departamento de Gestão da Atenção Especializada da Secretaria Estadual de Saúde, Gabinete Integrado de Acompanhamento das Repercussões Trabalhistas do COvid-19, Secretaria Extraordinária de Enfrentamento ao Coronavírus, Coordenadoria Geral de Vigilância em Saúde de Porto Alegre.
Ainda foram encaminhados documentos para as secretarias municipais de Saúde de Viamão, Sertão Santana, Sapucaia do SUl, São Jerônimo, Porto Alegre, Nova Santa Rita, Gravataí, Guaíba, Esteio, Eldorado do SUl, Charqueadas, Canoas, Cachoeirinha, Barra do Ribeiro, Alvorada
Fonte: Imprensa/SindBancários

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FACEBOOK

SERVIÇOS

CHARGES

VÍDEOS

O BANCÁRIO

TWITTER