Contraf-CUT divulga nota de solidariedade a Cuba

Entidade manifesta preocupação diante de risco de intervenção do governo dos Estados Unidos no país caribenho

A Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT) divulgou nota em solidariedade ao governo de Cuba e lamenta a desinformação sobre manifestações contra a crise econômica e sanitária que o país atravessa. Notícias veiculadas dias atrás ignoram as dificuldades que o povo cubano tem para o acesso a alimentos e material sanitário estratégico para a segurança sanitária da população diante da pandemia.

Tais dificuldades, que afetam até mesmo o envio de respiradores mecânicos para doentes de covid-19, são agravadas pelo bloqueio econômico liderado pelo governo dos Estados Unidos e que persiste mesmo durante a pandemia. A nota alerta para o risco de uma intervenção dos Estados Unidos no país caribenho.

Veja abaixo a íntegra da nota.

Nota da Contraf-CUT sobre o bloqueio econômico a Cuba e a interferência na soberania e autodeterminação do povo cubano

A Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT) expressa seu apoio e solidariedade ao governo e ao povo cubano, diante do bloqueio que vem impedindo a esse povo condições para uma vida digna.

Declara também seu repúdio contra qualquer forma de ingerência e ataque à autodeterminação feito pelo imperialismo norte americano sobre a ilha.

A Confederação lamenta o uso distorcido das recentes manifestações contra a crise econômica e sanitária que o país atravessa, feito por países que apoiam o bloqueio econômico a Cuba.

As notícias estão sendo veiculadas sem informar que o bloqueio persiste em plena pandemia, impedindo o acesso a alimentos e material sanitário estratégico para a segurança sanitária da população.

A divulgação ideológica das notícias oculta que o bloqueio representa um golpe desumano contra um povo que, com a inviabilidade do turismo devido à pandemia, perdeu sua mais importante fonte de renda.

O agravamento da crise interna está sendo utilizado para gestos cínicos de “solidariedade” de países que, oferecendo “ajuda humanitária” como pretexto, pretendem uma intervenção ou até um golpe de Estado.

A Contraf-CUT reitera sua solidariedade, condena o bloqueio econômico, defende seu imediato fim, pede respeito às leis internacionais que garantem o direito à soberania e à autodeterminação do povo cubano.

São Paulo, julho de 2021.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FACEBOOK

SERVIÇOS

CHARGES

VÍDEOS

O BANCÁRIO

TWITTER