Condições de trabalho serão debatidas na live da Contraf e Fenae, às 19h desta quarta

Também estarão em pauta PDV, aumento de metas e contratações na Caixa

Discutir condições de trabalho na Caixa é imprescindível, pois as cobranças abusivas, falta de contração e o Programa de Desligamento Voluntário (PDV) já estão fazendo parte do cotidiano dos empregados do banco público. Esse será o debate na live da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT) e da Federação Nacional das Associações do Pessoal da Caixa Econômica Federal (Fenae), nesta quarta-feira, 25/11. A live “PDV, Metas e Contratação” acontece às 19h, no Facebook da Fenae e da Contraf-CUT.

A live terá a presença do presidente da Fenae, Sergio Takemoto, da coordenadora da Comissão Executiva dos Empregados da Caixa (CEE/Caixa), Fabiana Uehara Proscholdt, do presidente da Federação Nacional das Associações dos Gestores da Caixa (Fenag), Mairton Antônio Garcia Neves e do gestor na área de Saúde e consultor da Fenae, Albucacis de Castro Pereira.

Metas duplicadas e triplicadas

Depois de um ano conturbado, os empregados da Caixa são surpreendidos com um grande desafio neste final de ano. Sem aviso ou negociação com os trabalhadores, o banco reajustou mais uma vez as metas dos seus funcionários. Há relatos de metas duplicadas e triplicadas para alguns empregados. Contudo, encontrar trabalhadores cansados, adoecidos e com jornadas exaustivas é o padrão cada vez mais comum.

“Até sexta-feira (20), tivemos as adesões ao PDV na Caixa com o desligamento de colegas nos locais de trabalho. Somada a isso, metas mais que abusivas, metas adoecedoras, e a ausência de contratações. São questões que têm deixado os empregados extremamente estafados. Por isso, é de extrema importância este debate para reforçar a mobilização para que a Caixa dê condições de trabalho, respeite os colegas e faça novas contratações. Até porque a nossa luta é para que os empregados tenham suas condições de trabalho respeitadas, melhorando a sua qualidade de vida e consequentemente atendendo melhor a população”, explicou a coordenadora do CEE Caixa, Fabiana Uehara.

Para o presidente da Fenae, Sergio Takemoto, o que a Caixa está impondo aos trabalhadores é irracional. “Muitos colegas estão adoecendo por conta dessas metas. E se a Caixa não contrata mais trabalhadores, o peso fica ainda maior”, afirma Takemoto.

Em meio à pandemia do Coronavírus, mais de 100 milhões de brasileiros buscam o banco para o auxílio emergencial, Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e o Benefício Emergencial de Preservação do Emprego e da Renda (BEm). Além de todo este trabalho de frente, os empregados estão sendo obrigados a cumprir metas abusivas a pouco dias do fechamento do semestre. Com essa imposição, muitos não terão tempo hábil para alcançar o que foi imposto pela Caixa.

Caixa: 17 mil empregados a menos

Relatórios da Caixa mostram que de 2014 a 2020, o banco perdeu mais de 17 mil trabalhadores, por meio de PDVs ou demissões. O atual PDV, lançado no início do mês, abriu mais de 7.200 vagas para a saída de trabalhadores. Apesar de questionada pela CEE, a Caixa não respondeu se haveria reposições. A falta de trabalhadores resulta na precarização do atendimento à população e nas filas que vimos durante a pandemia.

A recomposição do quadro de empregados poderia vir dos aprovados de 2014, último concurso da Caixa. No dia 4 de dezembro, o Supremo Tribunal Federal (STF) irá julgar os embargos de declaração contra o acórdão do RE 960.429, protocolados pela Fenae, Contraf/CUT e outras entidades, em julho deste ano. As entidades ingressaram com a ação depois que a Corte julgou que é de competência da Justiça comum os processos e julgamentos das demandas ajuizadas por candidatos e empregados públicos na fase pré-contratual, relativas a critérios para a seleção e a admissão de pessoal nos quadros de empresas públicas.

Mobilização nas redes sociais

Para cobrar a Caixa pelas metas abusivas e por mais contratações, a Fenae, Contraf- CUT e os movimentos sindicais farão uma mobilização no Twitter. Trabalhadores, participem! O tuitaço acontecerá às 11h e às 18h! Use as hashtags #MenosMetasMaisRespeito #QueVergonhaCaixa e #MaisContrataçõesMenosFilas.

Fonte: Contraf-CUT, com Edição de Imprensa SindBancários

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FACEBOOK

SERVIÇOS

CHARGES

VÍDEOS

O BANCÁRIO

TWITTER