Comando pede fechamento de agências e aguarda resposta da Fenaban

Representantes dos bancários apresentam 17 reivindicações à Fenaban em reunião por videoconferência e esperam resposta nesta terça, 24/3, sobre ações de contenção ao coronavírus

O Comando Nacional dos Bancários apresentou 17 reivindicações a Fenaban durante videoconferência na segunda-feira, 23/3, e espera resposta nesta terça-feira, 24/3, sobre medidas de contenção ao coronavírus. Além de medidas protetivas como uso de equipamentos de segurança, atendimento presencial só em serviço essencial e com revezamento, como abastecimento de caixas eletrônicos, e segurança para deslocamento e no local de trabalho, o Comando Nacional cobrou o fechamento das agências bancárias e departamentos.

O presidente do SindBancários, Everton Gimenis, participou da telerreunião ao lado do diretor de Sáude da Fetrafi-RS, Mauro Salles, na Casa dos Bancários. Para Gimenis, os bancos estão indo na contramão do que outros países fizeram para conter o coronavírus.

“A cada dia que passa ficamos sabendo de casos que confirmam a agressividade desse vírus. A China, a Coreia do Sul e alguns outros países que adotaram medidas mais restritivas no início da crise conseguiram reduzir danos”, avaliou Gimenis.

Assista ao vídeo em que o presidente do SindBancários, Everton Gimenis, conta como foi a videoconferência com a Fenaban

O presidente do Sindicato disse que há uma confusão entre decisões de vários níveis por conta da falta de atitude do governo federal. Para se ter uma ideia, há uma circular do Banco Central orientando restrição e atendimento, outra da Prefeitura de Porto Alegre restringindo ainda mais o acesso às agências e outra do governo federal falando em serviço essencial em bancos mas sem decretar fechamento.

“Minha opinião é que essa crise está envolta em confusão porque o governo federal não baixou um decreto claro mandando fechar os bancos. Sou a favor do fechamento imediato. Os Sindicatos estão fazendo o que podem para fechar mas os governantes têm que ter coragem para tomar a decisão”, ponderou Gimenis.

A conversa foi difícil e as negociações avançaram pouco, segundo o diretor de Comunicação da Fetrafi-RS, Juberlei Bacelo, que participou da reunião virtual.

Embora estados como Santa Catarina já tenham adotado a medida e diversos decretos municipais determinando o fechamento de agências tenham sido publicados nos últimos dias, até o momento não há nenhuma intenção dos bancos em suspender as atividades presenciais em todo o país.

Mesmo assim, o negociador da Fenaban se comprometeu a avaliar as reivindicações. O comando colocou um prazo até a manhã desta quarta-feira, 24, para resposta dos bancos e irá realizar nova reunião virtual às 15h.

 

Veja as propostas apresentadas pelo Comando Nacional dos Bancários

  1. Fechamento das agências bancárias e demais unidades;
  2. fechar agências em hospitais e aeroportos, devido ao risco;
  3. suspensão das metas;
  4. manter atendimento não presencial das atividades consideradas essenciais pelo decreto 10.282/2020; que estabelece em seu artigo 3º § 1º inciso XX que são atividades essenciais no setor financeiro: “compensação bancária, redes de cartões de crédito e débito, caixas bancários eletrônicos e outros serviços não presenciais de instituições financeiras”;
  5. agendamento para casos de atendimento presencial em caso de extrema necessidade;
  6. redução da jornada para os que tiverem que ir ao local de trabalho;
  7. garantia de deslocamento seguro para os que tiverem que fazer o atendimento não presencial de alimentação e processamento do autoatendimento;
  8. suspensão das demissões;
  9. home office para todos os bancários e bancárias, com exceção de quem terá que ir às agências para dar suporte ao funcionamento dos caixas eletrônicos. Devendo haver escala de revezamento. Não podendo ser incluído no mesmo os funcionários que estão nos grupos de risco; que não tem com quem deixar os filhos menores e àqueles que coabitem com pessoas enquadradas no grupo de risco, exemplo: pais idosos;
  10. garantia da ultratividade dos Acordos e Convenções Coletivas até 31/01/2021;
  11. a MP 927 não será adotada sem negociação coletiva com o Comando;
  12. Suspensão dos descomissionamentos;
  13. antecipação do Vale Alimentação;
  14. que os bancos façam campanha na mídia orientando os clientes sobre o uso dos meios digitais; caixas eletrônicos e os riscos da contaminação do CORONAVÍRUS;
  15. disponibilização de máscara, luvas e álcool gel para os que irão realizar essas atividades essenciais;
  16. suspensão dos vencimentos dos boletos por sessenta dias;
  17. isenção de tarifas (clientes com renda até dois salários mínimos) de três transferências eletrônicas mês (TED E DOC) para diminuir a contaminação pelo uso de cédulas.

O que já fizemos para preservar a saúde dos(as) bancários(as)

12/3: Comando Nacional dos Bancários cobra negociação da Fenaban sobre coronavírus.

De 13/3 a 15/3: SindBancários suspende sessão de cinema especial da Caixa, fecha a biblioteca, o salão de festas, cancela os cursos de CPA10 e CPA 20. As eleições para delegados(as) sindicais ficam suspensas por 60 dias.

16/3: Comando Nacional cria Comitê de Crise com a Fenaban para monitorar aplicação de protocolos de contenção à COVID-19.

17/3: Como medida preventiva, SindBancários restringe atendimento na sede do Sindicato para contenção do coronavírus.

18/3: Presidente do SindBancários, Everton Gimenis, se reúne presencialmente com direções do Badesul e BRDE para pedir informações e cobrar medidas preventivas de proteção aos(às) bancários(as) em Porto Alegre.

18/3: SindBancários pede em ofícios suspensão do atendimento nas agências bancárias ao governo do Estado, à prefeitura de Porto Alegre e a outros municípios da Região Metropolitana de sua área de abrangência.

18/3: Dirigentes do SindBancários e da Fetrafi-RS se reúnem com o RH do Banrisul para cobrar medidas preventivas de proteção aos Banrisulenses de todo o Estado.

19/3: Banco Central atende reivindicação do Comando Nacional dos Bancários e emite circular que reduz horário de atendimento e controla acesso às agências.

20/3: SindBancários obtém liberação do trabalho de grupos de risco, grávidas e lactantes do BB, junto a GEPES, em Porto Alegre.

20/3: Dois dias depois de o SindBancários solicitar suspensão do atendimento nas agências bancárias, prefeito de Porto Alegre emite decreto de atendimento a portas fechadas das agências bancárias com restrição de número de bancários(as) e de clientes.

21/3: Governo federal emite Decreto que define atendimento em caixas eletrônicos e outros serviços bancários como essenciais e que não podem parar.

23/3: Comando Nacional dos Bancários cobra fechamento imediato das agências bancárias da Fenaban durante reunião por videoconferência. Representantes dos bancos se mostram irredutíveis e anunciam resposta a 17 reivindicações dos bancários no dia seguinte.

 Fonte: Imprensa SindBancários, com informações da Imprensa Fetrafi-RS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FACEBOOK

SERVIÇOS

CHARGES

VÍDEOS

O BANCÁRIO

TWITTER