Comando Nacional dos Bancários cobra nova rodada de negociação com a Caixa

Em ofício enviado à Caixa Econômica Federal na quinta-feira, 24/9, o Comando Nacional dos Bancários, assessorado pela Comissão Executiva dos Empregados (CEE/Caixa), cobrou que o banco se posicione quanto à realização de uma nova negociação específica. A proposta, feita pelos representantes dos trabalhadores, é de que a reunião ocorra em São Paulo (SP), logo após a quinta rodada de negociação entre o Comando e a Fenaban.

Segundo a Contraf-CUT , a disposição dos trabalhadores é lutar, com unidade e força, pelos necessários avanços. “Queremos que as instituições financeiras apresentem propostas que reconheçam e valorizem o esforço diários dos bancários. Apenas no ano passado, os cinco maiores bancos lucram mais de R$ 60 bilhões. Ou seja, há condições financeiras para atender nossas reivindicações”, afirma o presidente da Confederação, Roberto von der Osten.

Reivindicações dos bancários

A pauta geral da categoria bancária tem como pontos centrais o reajuste de 16%, valorização do piso salarial no valor do salário mínimo calculado pelo Dieese (R$ 3.299,66 em junho), PLR de três salários mais R$ 7.246,82, defesa do emprego, combate às metas abusivas e ao assédio moral, melhores condições de trabalho, fim da terceirização e vales-alimentação e refeição maiores.

Já entre os itens específicos da Caixa, destacam-se: contratação de mais empregados; fim do GDP; combate ao assédio moral; fim das metas abusivas; garantia do Saúde Caixa na aposentadoria, inclusive os que saíram pelo PADV; fim do voto de Minerva na Funcef; imediata incorporação do REB ao Novo Plano; fim da restrição de dotação orçamentária para horas extras; e extensão da licença-prêmio e do anuênio para todos os admitidos a partir de 1998.

Fonte: Fenae com edição da Fetrafi-RS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FACEBOOK

SERVIÇOS

CHARGES

VÍDEOS

O BANCÁRIO

TWITTER