Comando faz nova rodada de negociação com Banrisul

Dirigentes sindicais cobram regra de transição para ONs e continuidade de protocolos de segurança contra a Covid. Onda de demissões sem justa causa também foi pauta da reunião.

O Comando Nacional dos Banrisulenses se reuniu mais uma vez com representantes do Banrisul esta semana para tratar de uma regra de transição para operadores de negócios se adaptarem ao Programa de Participação no Resultado (PPR).

Entenda
A proposta do Comando para o banco é incluir uma verba indenizatória para os(as) operadores(as) até a campanha salarial em agosto, quando se negociam remunerações e condições de trabalho, por exemplo.

O Comando também aguarda o Banrisul apresentar o detalhamento do Programa, que está valendo desde janeiro. O Acordo do PPR foi assinado com vigência de um ano (até janeiro de 2023), justamente para permitir aperfeiçoamentos, que serão negociados em novas rodadas entre o Comando e a direção do banco.
O banco ainda não definiu como será a transição para os ONs, mas sinalizou uma resposta para os próximos dias.

Demissões

Na reunião, os dirigentes também cobraram uma resposta do Banrisul sobre uma onda de demissões sem justa causa. Desde 2019, início do governo Leite, o movimento sindical percebeu um aumento de demissões que divergem até da norma interna do banco. Para os dirigentes, a postura da gestão de Recursos Humanos cria um ambiente de medo que beira ao assédio institucional, já que tem sido recorrente.

O Comando apontou que este clima interfere não apenas no desempenho dos(as) colegas, mas também nas negociações que virão com a campanha salarial. O movimento sindical cobrou bom senso. “Não há um padrão nessas demissões”, apontou Luciano Fetzner, presidente do SindBancários de Porto Alegre e Região. “Há casos sem motivos claros, colegas demitidos por não cumprirem metas. Isto é terrorismo, assédio institucional”, denunciou. Luciano colocou que esta nunca foi a postura do banco e que está claro para o movimento que este é um padrão da atual gestão.

Saúde

A pandemia continua como ponto de atenção do Comando e foi pauta da reunião com os representantes do banco. Na última semana, o Banrisul flexibilizou os protocolos, como o uso de máscaras nas agências e unidades, sem avisar o movimento sindical, mesmo com a Comissão de Saúde instalada.

A diretora de Saúde da Fetrafi, Denise Falkenberg, demonstrou o incômodo do Comando e cobrou diálogo. Denise pediu nova reunião da Comissão de Saúde e lembrou que foi a iniciativa do movimento sindical que garantiu um protocolo de segurança que salvou a vida de muitos banrisulenses.

O manejo que fizemos da pandemia foi muito importante. Fomos exemplo de melhores práticas; estávamos corretos no protocolo: uso de máscara, distanciamento, janelas abertas. Precisamos observar muito atentos os números da pandemia. Estamos vigilantes”, disse Denise, reforçando que o Comando defende a manutenção dos protocolos.

Na reunião, o Comando pediu resposta sobre a vacinação da gripe. Os representantes informaram que o Banrisul vai ressarcir o valor.

Fonte: Imprensa SindBancários

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FACEBOOK

SERVIÇOS

CHARGES

VÍDEOS

O BANCÁRIO

TWITTER