COE Bradesco decide denunciar e lutar contra as demissões dos bancos

Representantes dos empregados do Bradesco de todo o Brasil se reuniram na quinta-feira, 22/10, para discutir estratégias de luta

A Comissão de Organização dos Empregados (COE) do Bradesco se reuniu na quinta-feira, 22/10, por videoconferência, para debater as demissões praticadas pelo banco em todo o Brasil.

O ritmo de demissões do Bradesco está acelerado. Foram pelo menos 1.224 trabalhadores e trabalhadoras demitidos desde o dia 28 de setembro, em plena pandemia da COVID-19. Só no Rio Grande do Sul, até esta quinta-feira foram contabilizadas 78 demissões em Porto Alegre e no interior.

Na reunião da COE, os dirigentes decidiram aderir à campanha nacional contra as demissões, que está sendo coordenada pela Contraf-CUT, para denunciar a quebra do compromisso firmado entre a Fenaban e o Comando Nacional dos Bancários de não demitir empregados durante a pandemia. Itaú, Santander e Mercantil são outros bancos que também descumpriram com o acordo.

“É inadmissível a posição de uma empresa do tamanho do Bradesco que empenhou sua palavra em não demitir durante a pandemia e neste grave momento que atravessa o país demite mais de mil e duzentos trabalhadores. E o faz das formas mais cruéis, por carta, e-mail, por telefone, atingindo inclusive afastados por saúde e com estabilidade pré-aposentadoria. Mas vamos à luta! É hora de fortalecer e intensificar a campanha já deflagrada contra estas demissões”, afirmou Sandro Cheiran, representante da Fetrafi-RS na COE Bradesco.

Juntos, os bancos já demitiram 12.794 pessoas este ano. Conforme o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados do Ministério da Eonomia (Caged), houve menos contratações: 11.405. Ou seja, um saldo negativo de 1.389 postos de trabalho que foram fechados. No mesmo levantamento, fica claro que o ritmo das demissões se intensificou a partir de junho, quando foram registradas 1.363 demissões, subindo para 1.634 em julho e 1.841 em agosto.

“O momento é de união. Nosso papel é de defender o emprego e os direitos não só dos bancários do Bradesco, mas de toda a categoria. Essa é a hora de resgatarmos a união que tivemos em tantas batalhas, inclusive na Campanha Nacional 2020, que foi histórica, por ser feita durante uma pandemia sanitária”, afirmou Magaly Fagundes, coordenadora da COE Bradesco.

#QuemLucraNãoDemite

Nesta sexta-feira, 23/10, vai ter um tuitaço contra as demissões nos bancos. Será às 11h, com a hashtag #QuemLucraNãoDemite. Divulgue ao máximo este protesto, fale para seus amigos e familiares ajudarem a denunciar os bancos que tiveram grandes lucros este ano e não cumprem o acordo com os bancários de não demitir durante a pandemia.

*Com informações da Contraf-CUT

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FACEBOOK

SERVIÇOS

CHARGES

VÍDEOS

O BANCÁRIO

TWITTER