Cidadania de mulheres excluídas ganha audiovisual e podcast

Jornalista e atriz gaúchas criam ponte com Portugal, em projeto que dialoga com SindBancários

Duas das mais representativas personalidades da vida cultural e do debate democrático de Porto Alegre – a atriz e diretora teatral Débora Finocchiaro e a jornalista e escritora Rosina Duarte – estão a frente da versão brasileira do Projeto Transmídia “Invisíveis – Histórias para Acordar”, em parceria com artistas e comunicadores de Portugal. Com o recente lançamento do AudioVisual no último dia 15/10, e exposições e performances programadas para dezembro, o projeto já pode ser curtido e apreciado no Podcast que está sendo apresentado sempre às 19h das quartas-feiras, com reprise às 15h de sextas-feiras. Sempre na Rede Estação Democracia., Spotify, Google Podcast e Apple Music.

A produção luso-brasileira, que dá espaço e ecoa múltiplas vozes femininas nos dois países, foi contemplada no mais importante fundo de apoio internacional para Artes Cênicas da América Latina, o Programa Iberescena 2020/2021. O projeto é integrado por um espetáculo virtual, duas exposições com performances (no Brasil e em terras lusitanas) e o podcast “Invisíveis – Histórias para Acordar”.

Seu conteúdo são relatos reais de diversos grupos femininos – em geral silenciados pela cultura machista – como mulheres e meninas em situação de rua, prostitutas, presidiárias, vítimas de tráfico humano, ciganas e idosas da zona de fronteira do Rio Grande do Sul com os países do Prata. “As pesquisas e a montagem do projeto levaram em conta a voz e os relatos de centenas de mulheres, com narrativas impressionantes e emblemáticas da condição feminina, abarcando não apenas uma grande diversidade, mas também atravessando limites de tempo e lugar”, dizem as organizadoras.

A partir de um audiovisual lançado em setembro de 2020, focando basicamente histórias de moradoras de rua, “nossa intenção, desde então, foi ampliarmos o discurso e o público, dando voz a outros grupos de mulhres”, acrescenta Amanda Gatti, uma das idealizadoras.

No Brasil, em especial no RS, os relatos coligidos e organizados por Rosina Duarte partem de obras escritas por grupos de mulheres, através da ALICE (Agência Livree para Informação, Cidadania e Educação). A ALICE tem esta proposta, que é única e aparentemente simples, de mostrar o que a sociedade não vê. São grupos separados por culturas diferentes, diversas experiências de vida, regiões onde vivem, etc. No entanto, todas têm um núcleo em comum: uma minivisibilidade social e a falta de respeito da sociedade para com elas”, sintetiza Rosina. “Por isso, a comunicação é transformadora, pois quando a gente conhece algo, nossa visão pode mudar”, reforça a escritora.

Sindicato: mostra fotográfica

Vale lembrar que o SindBancários tem aberto espaço para acolher estas manifestações, e antes da pandemia de coronavírus chegou a realizar várias mostras de fotos e arte de populações excluídas. Uma delas, em 2016, foi a exposição de fotografias do cotidiano – feitas por moradores de rua, e com moradores de rua – sob curadoria de Luiz Abreu, um dos coordenadores da ALICE. Na ocasião, o espaço de exposições do SindBancários foi ocupado pela mostra “Olhares de uma gente invisível” ( https://www.sindbancarios.org.br/index.php/sindbancarios-revela-olhares-de-uma-gente-invisivel-em-mostra-de-fotografias/ )

Além disso, juntamente com o fotógrafo Abreu e [email protected] voluntárias e voluntários, Rosina Duarte organiza, através da ALICE, a publicação do jornal “Boca de Rua”, que também recebeu apoio do Sindicato. O “Boca”, que já completa 21 anos, segue sendo feito e editado por moradores de rua de Porto Alegre.

Já em Portugal, as narrativas chegam através da pesquisadora Márcia Pedras, e revelam histórias de mulheres vítimas do tráfico humano e as ciganas marginalizadas no país. Agora, com o do Projeto Transmídia “Invisíveis – Histórias para Acordar”, todas estas iniciativas ganham mais fôlego e visibilidade.

Para dar voz e corpo para este universo, o espetáculo virtual é assinado por Deborah Finocchiaro e Amanda Gatti, com a participação de Magda Loitz, Fernanda Copatti, Elaine Regina, Graziela Pires, Denise Ovádia e Valéria Pinheiro. O elenco de Portugal é formado por Patrícia Soso (gaúcha moradora no país europeu), Marlene Barreto e Andreia Judice.

Podcast “Invisíveis”

Composto por nove episódios, publicados semanalmente – entre 13 de outubro e 10 de dezembro deste ano – o podcast “Invisíveis – histórias para acordar” é mais um formato que amplia a discussão e possibilita dar espaço a tantas outras vozes e situações que precisam ser escutadas. Contando sempre com mediação da equipe, o programa trará como convidadas pessoas “invisíveis” na nossa sociedade, além de trabalhadores que militam e trabalham nestas áreas e segmentos sociais.

Acompanhe o podcast: http://sptfy.com/6zVi

Fontes: Projeto Transmídia Invisíveis – Histórias para acordar; grupos Companhia de Solos & Bem acompanhados (Brasil) e Casulo Núcleo de Artes Performativas (Portugal). Mais informações: jornalista Grazieli Binkoweski (51 98116 4278/ 3342 5397) / [email protected] . Imprensa SindBancários.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FACEBOOK

SERVIÇOS

CHARGES

VÍDEOS

O BANCÁRIO

TWITTER