Centenas de pessoas apoiam ato em defesa da Caixa

Mobilização aconteceu em frente a agência central do banco, na Praça da Alfândega, nesta terça, 19

A necessidade de muita unidade dos trabalhadores e de suas entidades representativas, neste momento que o Brasil atravessa. Esta foi a mensagem mais forte divulgada e defendida pelo presidente do SindBancários no Ato Público em Defesa da Caixa Pública, através da campanha #AcaixaÉTodaSua, realizado por volta do meio-dia desta terça-feira, 19/11, em frente a Agência Central do banco, na Praça da Alfândega, Centro de Porto Alegre. “Desde 2016, com o golpe de Temer, até hoje, neste governo Bolsonaro, temos visto um desmonte das instituições públicas e dos direitos dos trabalhadores. Agora até o Pré-Sal, que poderia ser a redenção do Brasil, está sendo entregue aos interesses estrangeiros”, afirmou Everton Gimenis.

Robin Hood às avessas

No ato que reuniu dezenas de empregados da Caixa, dirigentes e militantes de entidades de bancos e entidades de trabalhadores, Gimenis enumerou os ataques sucessivos que vêm atingindo os trabalhadores nos últimos anos, como a Terceirização total, a Reforma Trabalhista. “Agora, a MP 905 amplia drasticamente nossa jornada de trabalho. A verdade é que Bolsonaro parece um Robin Hood às avessas, agradando o grande empresariado e taxando até os desempregados. Só falta agora este governo cobrar impostos de quem mora na rua. A Caixa cuida dos programas sociais do país, tem que continuar 100% pública”, desabafou o presidente do SindBancários.

Projetos e sonhos

O vice-presidente da Fenae, Sergio Takamoto, também presente ao ato em Porto Alegre, lembrou a mobilização em nivel nacional e reforçou a defesa da Caixa pública e sem fatiamento. “A Caixa tem mais de 100 milhões de correntistas e clientes. Acabar com o caráter público significa acabar com os projetos e sonhos da juventude brasileira”, salientou.

Jailson Bueno Prodes, empregado da Caixa e diretor do SindBancários que coordenou o ato, lembrou que a luta se dá em várias instâncias, e precisa unir trabalhadores públicos e privados. “Aqui em Porto Alegre, por exemplo, a Prefeitura está liquidando a saúde e a educação, desestimulando os servidores. Hoje estamos na praça em defesa da Caixa sem cortes, mas aqui no estado o governo de Eduardo Leite está imobilizando as empresass e entidades públicas também”, reforçou.

Neste sentido de inclusão, a diretora da Fenae, Rachel Weber, igualmente funcionária da CEF, frisou que o banco não é só de seus funcionários, mas pertence a toda a população brasileira, gerindo programas de habitação, saneamento, fundo de garantia e outros segmentos que beneficiam o país. “Nosso diálogo não é só com funcionários da caixa ou só com os bancários, mas com toda a sociedade”, reafirmou o representante da APCEF, Marcelo Carrion.

A diretora do SindBancários e funcionária do banco, Caroline Heidner, destacou que o slogan ‘A Caixa é toda sua’ demonstra que a Caixa é ampla: “Através de contratos executados por funcionários especializados, são milhares de intervenções que beneficiam grande parte da população em todos os cantos do país”, disse ela. “E isso precisa ser defendido”, finalizou. Gilmar Aguirre, diretor da Contraf-CUT e membro da Comissão Executiva de Empregados da Caixa, ressaltou que é precisa alertar a população que o ataque atual não é só à Caixa, mas estende-se também ao Banco do Brasil e a todas as estatais.

Empregados sobrecarregados

Já a diretora da Fetrafi-RS, Denise Falkenberg Corrêa, fez questão de destacar o fato de que apenas o estado brasileiro possui ações da Caixa. “E assim deve ser”, pontuou ela. “Afinal, a Caixa é sinônimo da popupança dos brasileiros e do sonho da casa própria. O setor de penhores da Caixa” – recordou – “foi a primeira maneira de obtenção de crédito”, enfatizou, recordando a História. Sob o som da dupla musical Lili Fernandes e Dudu Castilhos, que fez a trilha sonora do ato, Denise ainda defendeu a urgência de chamar os funcionários aprovados em concurso público: “Hoje, a Caixa atua com menos gente e empregados sobrecarregados”, denunciou.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FACEBOOK

SERVIÇOS

CHARGES

VÍDEOS

O BANCÁRIO

TWITTER