Bradesco Gravataí conquista título da Copa Classe Trabalhadora em final que consagra milagres do goleiro “São” Roger

A final da 1ª Copa Classe Trabalhadora de Futsal foi uma espécie de reprise da final da Taça SindBancários de Futsal 2016. Bradesco Gravataí e Bradesco FC fizeram uma final digna de dois times que, quando se enfrentam, disputam cada palmo de quadra e transformam o jogo num verdadeiro clássico. No final, o Bradesco Gravataí venceu por 4 a 3, conquistou o título, mas deve a conquista a um jogador em quadra. O goleiro Roger teve seu dia de Pelé. Roger literalmente pegou tudo, garantiu a vitória dos colegas do Gravataí e ganhou a bola da final.

Roger poderá, durante toda a semana, almoçar e lanchar de graça. Na brincadeira, seus colegas lhe devem almoços e lanches. No DVD da final, elaborado pela Assessoria de Imprensa do SindBancários, seu nome, na voz do narrador da Rádio Gre-Nal, Thiago Suman, será repetido a cada chute em gol dos colegas do Bradesco. Roger será cantado em verso e prosa como o herói do jogo. A taça rotativa fica um ano de posse do SindBancários até a próxima competição que reunirá times de categorias de trabalhadores.

A disputa de terceiro e quarto lugares terminou com vitória por WO do time da Sulpol, representantes do Sindipolo, trabalhadores do Polo Petroquímico de Triunfo sobre os Amigos do Futebol, time formado por trabalhadores metalúrgicos ligados ao Sindicato dos Metalúrgicos de Canoas e Nova Santa Rita. Estes último não puderam comparecer ao jogo, disputado na quadra do Sindicato dos Metalúrgicos em Canoas, na noite da quarta-feira, 14/12, por terem sido convocados para atender a um pedido de demanda. Perderam o jogo para trabalhar num serão de última hora.

Veja aqui as imagens da final.

A saga de Roger começou nos primeiros minutos de jogo. O Bradesco FC arremeteu duas vezes contra o gol do Gravataí com chutes que foram parar nas mãos do goleiro salvador da pátria. Mas foi na primeira escapada do Bradesco Gravataí que o primeiro gol quase saiu. Por um capricho do deuses do futebol, Rafael Eltz desviou do goleiro Mauricius, após receber lançamento longo, matar no peito e tocar no canto. A bola bateu na trave esquerda, correu na linha e bateu na outra trave.

Os colegas do Bradesco Gravataí se animaram com o destino alterado do placar na primeira bola do jogo. Impuseram logo de cara seu jogo de forte marcação, rápidas rápidas e chutes de média e longa distância dos defensores, os Gabriéis Macedônia e Tiburski. Do meio da quadra, ele mandou um chute forte para defesa a escanteio de Mauricius. A tentativa seguinte foi de Roger. O goleiro chutou de sua quadra e a bola raspou o travessão adversário.

Se a bola batia nas duas traves e não entrava, o Bradesco Gravataí insista. Um contra-ataque rápido terminou com um chute que obrigou o goleiro Mauricius, do Bradesco FC, a mandar a escanteio. Na cobrança, duas virtudes do Bradesco Gravataí para abrir o placar. O passe rápido e rasteiro para um belo chute de Macedônia. A bola foi despachada para o canto direito, num chute cruzado, indefensável, rasteiro. Eram 5 minutos de jogo, e o Bradesco Gravataí largava na frente.

O gol animou o Bradesco FC que, até então, não conseguia se livrar da marcação encaixada dos colegas de Gravataí. Sem conseguir fazer a bola fluir com o fixo Robson “Mala” Marques, circular pelos pés rápidos e habilidosos de Gerson Junior, para as conclusões de Maikon, e com Vinícius bloqueado e impedido de rasgar ao meio a defesa do Bradesco Gravataí com seus dribles curtos e rápidos, o jeito foi acionar um guerreiro. O atacante que não tem bola perdida, Dair Fernando, mando um chute muito forte pela esquerda por cima do gol de Roger. O Gravataí reagiu com uma espécie de jogada espelho do gol. Cobrança de escanteio pela esquerda e Tiburski manda de primeira, a la Macedônia, para defesaça de Mauricius a escanteio.

Quem chegou até aqui na crônica, deve já ter estranhado que o goleiro Roger, o grande nome do jogo, não fez muita coisa. Então, a descrição dos próximos cinco lances são ataques frontais do Bradesco FC que só não viraram gols porque Roger operou milagres. Gerson completou a triangulação com Mala e Fernando, de frente com o goleiro. Após escanteio do Bradesco Gravataí, o Bradesco FC contra-atacou. Maikon ficou de frente com Roger.

Fernando dá um lençol mágico em Macedônia , enganchando a bola, e bate à esquerda de Roger que estava em cima do lance. Fernando de novo recebeu pelo meio, passou adiante e movimentou-se pela esquerda. A bola chegou-lhe rasteira para um chute de primeira, forte, que raspou a gol de Roger. Fernando recebeu no pivô do meio. Virou-se e bateu para defesa de Roger. E chutou de novo no rebote para nova defesa do goleiro Roger.  Mala partiu da defesa pela direita, cortou para o meio e despejou um chutaço de canhota que raspou o canto esquerdo.

O duelo entre Fernando e Roger, a pressão pelo empate do Bradesco FC terminaram em gol do Bradesco Gravataí. O 2 a 0 dos campeões surgiu de um desafogo. A bola foi de pé em pé, passou por Eltz, Tiburski e Macedônia. Até chegar na linha de fundo pela direita a Vicente Ruas. Quase sem ângulo, ele chutou forte. Antes de entrar, a bola desviaria em Emerson Junior, do Bradesco FC, e entraria aos 15 do primeiro tempo. No lance seguinte, Rafael Eltz só não marcou com o gol vazio depois de driblar meio time adversário, porque o defensor Mala bloqueou na hora e o árbitro marcou falta. Na cobrança, Eltz mandou a bola na trave.

A saga do Roger continuava. E a saga do atacante Fernando também. Ele recebeu bola na linha de fundo e bateu forte. Defesa daquele que nem precisamos dizer o nome. Então, Mala fez um-dois com Fernando e bateu. Defesa de Roger. Em contra-ataque rápido do Bradesco FC, Roger de novo fez grande defesa.  E o primeiro tempo terminou com o gol do Bradesco Gravataí fechado por um goleiro com  shape de futsal.

Segunda etapa

O segundo tempo começou com pressão do Bradesco FC, defesa fechada, uma fortaleza, do Bradesco Gravataí, e o goleiro (como é mesmo o nome dele?) pegando tudo. O bombardeio do Bradesco FC criou três chances de gol. Mala bateu falta que raspou o ângulo. Depois de uma trama de troca de passes e posições, a bola bate na zaga do Bradesco Gravataí e sobra para Maikon, que, de virada, chuta por cima, da risca da área. O Bradesco tentava ficar cokm a bola, encurralar os colegas do Gravataé em sua própria metade de quadra até que num contra-ataque…

Bem, os contra-ataques do Bradesco Gravataí costumam ser mortais. Aos sete minutos do segundo tempo, foi tão mortal que Vicente Ruas ampliou a contagem para 3 a 0, em jogada iniciada por Wendell. A bola andou pelo meio, circulou de pé em pé, até chegar à esquerda com Tiburski. Daí, o passe preciso achou Vicente, para entrar sozinho pela direita, como um raio. Com o goleiro Mauricius batido, ele só teve o trabalho de mandar para rede.

O jogo então ficou muito parecido com a final da Taça SindBancários de Futsal. Naquele jogo, os colegas de Gravataí chegaram a abrir uma vantagem de 4 a 1 sobre o Bradesco FC. A reação foi tão avassaladora que o Bradesco FC conseguiu levar o jogo para os pênaltis num placar de 5 a 5. A pressão foi tão forte que três lances exigiram do goleiro Riger, do Gravataí  três milagres consecutivos até o primeiro gol do Bradesco FC.

Gerson bateu forte depois de passe de cobrança de escanteio. O mesmo Gerson bateu no cantinho do goleiro Roger sem muita força. O quase surpreendido herói do jogo salvou a escanteio. O FC não desistia. Depois de uma rápida troca de passes, a bola sobrou para Maicon que bateu forte sobre o zagueiro. O árbitro viu bola na mão e pênalti. De frente e sozinho com Roger, Mala bateu forte e alto no canto esquerdo aos 11 minutos para finalmente vencer o destaque do jogo e descontar para 3 a 1.

De novo, o FC imprimiu uma pressão quase insuportável de artilharia pesada. Em dois chutes consecutivos, Maikon exigiu de Roger dois milagres. E Fernado mandou no cantinho para nova defesa. Até que Vinicius, roubou bola na intermediária, tocou para Fernando. Este driblou o zagueiro pela direita e bateu forte. A bola desviou na zaga, foi espalmada por Roger, mas voltou a Vinícius que, quase em cima da linha do gol descontou para 3 a 2, aos 16 minutos.

Seria mesmo possível que o Bradesco FC só conseguiria vencer Roger com gol de pênalti o com chute de cima da linha do gol? Ou haveria uma reprise da final da Taça SindBancários e o jogo iria para os pênaltis. Antes que a pergunta fosse respondida, Macedônia recebeu cobrança de lateral da esquerda e, como um raio se antecipou ao goleiro Mauricius dentro da área, para fazer 4 a 2 aos 17 minutos.

O Bradesco FC não desistiria jamais. Bruno virou goleiro-linha e a pressão se intensificou. Maikon chutou duas vezes: para abafa de Roger à queima-roupa, e do fundo da quadra para defesaça no canto.  O abafa deu resultado. Aos 19 minutos e 10 segundos de jogo, o goleiro-linha Bruno desfere um petardo para defesa de Roger. No rebote, Fernando mandou para a rede para descontar a 4 a 3. Não haveria mais tempo para nada? Haveria sim. Fernando de dentro da área quase empatou. Mas, adivinha quem não deixou? Roger garantiu o título junto com os gols e a força dos companheiros de Gravataí. Não fez nenhum gol. Mas suas defesas evitaram. No final, na hora da premiação, recebeu a bola do jogo das mãos do capitão Macedônia. A mesma que tantas vezes teimou em entrar e ele teimou em defender. São Roger estava consagrado na 1ª Copa Classe Trabalhadora de Futsal.

A premiação

Campeão: Bradesco Gravataí

Vice-campeão: Bradesco FC

3º lugar: Sulpol

4º lugar: Amigos da Bola

Goleador: Cristiano (Sulpol), 9 gols.

Goleiros menos vazados: Mauricius e Thiago (Bradesco FC).

Os times

Chave A

Sulpol (Campeão Metalúrgicos Canoas)

Five Star (Vice Sindipolo)

Bradesco FC (Vice SindBancários)

Chave B

Alta Pressão (Campeão Sindipolo)

Bradesco Gravataí (Campeão SindBancários)

Mangels (Vice Metalúrgicos Canoas)

Todos os jogos

1ª Fase:

28/10

Sulpol 5×1 Five Star

Alta Pressão 2×3 Mangels – Amigos do Futebol

31/10

Bradesco FC 5×1 Five Star

Bradesco Gravataí 2×3 Alta Pressão

1º/11

Bradesco FC 6×3 Sulpol

Bradesco Gravataí 3×2 Mangels – Amigos do Futebol

Semifinais, 23/11

Bradesco FC 3×1 Mangels –Amigos do Futebol

Bradesco Gravataí 5×3 Sulpol

Finais, 14/12

Decisão 3º e 4º lugares

Amigos Futebol 0x1 Sulpol (WO)

Final

Bradesco FC 3×4 Bradesco Gravataí

Crédito fotos: Jackson Zanini

Fonte: Imprensa SindBancários

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FACEBOOK

SERVIÇOS

CHARGES

VÍDEOS

O BANCÁRIO

TWITTER