Belém do Pará é primeira capital do país a vacinar bancá[email protected] da linha de frente

Com a capital Belém, já são 24 cidades paraenses com vacinação de bancários contra a Covid-19

“Foram muitos meses de luta por prioridade na vacinação da categoria, que entendemos ser um direito nosso, mas hoje felizmente essa espera chegou ao fim e a categoria bancária da linha de frente da capital paraense será a primeira a ser vacinada em todo o país”. A declaração emocionada  é da presidenta do Sindicato dos Bancários de Belém dol Pará, Tatiana Oliveira. A imunização dos bancários e bancários será neste fim de semana, dias 26 e 27, na sede do Sindicato dos Bancários, em Belém. A sindicalista abradeceu ainda ao prefeito da capital paraense, ao secretário de saúde e ao diretor de vigilância em saúde.

O critério para vacinação será a lotação do empregado em Belém, por isso, não será solicitado o comprovante de residência. O Sindicato local ainda aguarda o repasse de informações técnicas pela Secretaria Municipal de Saúde sobre a estrutura necessária para a aplicação da primeira dose.

“Inicialmente serão 2.000 doses destinadas. Infelizmente por conta dessa limitação ainda não podemos vacinar toda a categoria, mas vamos iniciar para aqueles que estão mais diretamente envolvidos com o atendimento ao público. O Sindicato vai definir a lista com os nomes. À medida que formos tendo acesso a um maior número de doses de vacinas, nós seguiremos essa programação de imunização com o objetivo de vacinarmos toda a categoria de bancários”, explica o secretário de saúde, Maurício Bezerra.

Em números

Belém possui aproximadamente 5 mil bancários e bancárias, pouco mais da metade, cerca de 2.800 estão trabalhando presencialmente em agências ou unidades com atendimento ao público. “Os números são aproximados, com base nas informações repassadas pelos bancos, mas com o calendário municipal já chegando aos 40 anos, nosso público da linha de frente é abaixo dessa faixa etária, portanto, acreditamos que com as 2.000 doses consigamos imunizar quase todos e todas da linha de frente de bancos privados, públicos e financeiras. Estamos numa força-tarefa para conseguirmos, junto aos bancos, os dados de quem está em atendimento ao público e ainda não foi vacinado. Agora sim nossa prioridade foi reconhecida de fato e no braço”, comenta a vice-presidenta do Sindicato, Vera Paoloni.

No primeiro trimestre do ano passado, o número de mortes de bancários, de acordo com o número de desligamentos por morte de trabalhadores com carteira assinada foi de 55, pelos dados do Boletim Emprego em Pauta, elaborado pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). Esse número mantém pequenas variações ano a ano, mas no primeiro trimestre deste ano saltou para 152, crescimento de 176,4%.

No Pará, desde o início da pandemia, houve 43 óbitos de bancários por complicações da Covid-19, a maioria na Região Metropolitana de Belém. O maior registro dos óbitos ocorreu nos bancos públicos. “O Sindicato agradece a todos os parlamentares e gestores que tem atendido nossas solicitações e nos reconhecido como uma das categorias que não puderam parar nem no lockdown justamente pela sua essencialidade. Nosso agradecimento especial à vereadora Lívia Duarte e à deputada Marinor Brito, que intermediaram para que essa reunião acontecesse e saíssemos com a notícia mais esperada por todos nós. Mas a luta continua até que todos os bancários e bancárias sejam vacinados”, destaca a diretora de bancos estaduais, Ghyslane Cunha.

Calendário da vacinação amplia

Com a inclusão de Belém agora já são 24 cidades paraenses onde a categoria bancária já recebeu a primeira dose do imunizante.

Fonte: Sindicato dos Bancários de Belém, com Edição de Imprensa SindBancários/PoA.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FACEBOOK

SERVIÇOS

CHARGES

VÍDEOS

O BANCÁRIO

TWITTER