Banrisulenses e sindicalistas protestam contra desmonte do banco em frente às Suregs de Porto Alegre, Santo Ângelo e Passo Fundo

Em defesa do Banrisul público. Contra a venda de ações do banco promovida pelo governo entreguista de Sartori. Contra o fechamento de agências fora do Rio Grande do Sul. Contra a exploração dos banrisulenses. Estas são algumas das reivindicações que motivam a manifestação realizada desde o início da manhã desta sexta-feira, 27/10, pelo SindBancários e Fetrafi-RS, reunindo dezenas de sindicalistas e funcionários, em frente a Superintendência Regional do banco (Sureg) em Porto Alegre. Ações semelhantes estão sendo realizadas também nas Suregs de Passo Fundo e Santo Ângelo (foto abaixo).

Estamos aqui chamando a atenção da população e alertando a direção do banco para que aceite nos receber e ouvir nossas queixas e preocupações”, afirmou o diretor da Fetrafi-RS, Sergio Hoff. “O Banrisul vem fechando agências fora do RS, deixando centenas de colegas desempregados e isto também começa a acontecer aqui no estado”, alertou Hoff. “Toda a sociedade gaúcha e os trabalhadores também estão preocupados com a venda de ações do Banrisul, o que enfraquece o caráter público do banco e abre espaço para a entrada de diretores oriundos de mercado na direção da instituição”, completou.

Para Everton Gimenis, presidente do SindBancários, o fato da diretoria do banco não receber os representantes sindicais para negociar é preocupante e significativa. “A intransigência do banco e o fechamento à discussão têm muito a ver com a reestruturação interna que está sendo feita na instituição, de cima para baixo”, disse. “Trata-se de uma decisão política, de encolhimento do grande banco dos gaúchos e gaúchas, que pouco a pouco deixa de ter dimensão nacional e caminha para a privatização”, completou.

Assista a vídeo de diretor da Fetrafi-RS explicando os motivos do protesto.

Precarização

Não é exagero dizer que a precarização das condições de trabalho e a execução de multitarefas são hoje a “cereja do bolo” da tal reestruturação. Como exemplo, basta ver que cada vez mais os caixas banrisulenses passam a ter também a função de vender seguros, consórcios e oferecê-los aos clientes. Apesar de tudo isso, colegas com mais de dez anos de atividade estão perdendo funções gratificadas, que deveriam já ter sido incorporadas aos seus salários.

Não vamos aceitar estas imposições da direção do banco e deste governo que sonha em entregar o Banrisul, o Badesul, o BRDE e as principais empresas públicas gaúchas ao mercado”, destacou o presidente do SindBancários. “E vale lembrar que o Banrisul é a única instituição financeira que existe em 96 cidades gaúchas. E só está lá porque é público – bancos privados não se instalam onde não conseguem alta lucratividade”, explicou. “Além disso, o Banrisul é lucrativo e repassa dividendos ao governo estadual, que serão reduzidos drasticamente com a venda das ações”.

Conforme o diretor de Comunicação do Sindicato, Mauro Salles, o processo de reestruturação que está em curso simplesmente está sendo imposto, sem que os funcionários saibam dos objetivos e consequências. “Esse silêncio da diretoria indica que coisa boa não vem por aí. Fechamento de agências, falta de funcionários, precarizando atendimento e sobrecarregando os colegas. Agora estão chamando um concurso para estagiários, ao invés de chamar bancários para exercer funções de bancários, como manda a lei. A venda das ações do Banrisul é mais uma iniciativa do governo e da diretoria que vai impactar o futuro da empresa, com o estado perdendo governança, menos dividendos, e a concorrência influenciar na gestão empresa. Uma iniciativa desde porte precisa ser debatido com o povo gaúcho, dono do banco. No mínimo deve passar por um debate e deliberação da Assembleia Legislativa”, concluiu.

Calendário de Mobilização

As manifestações desta sexta-feira antecedem um amplo Calendário de Mobilização para o Dia Nacional de Paralisação contra as Reformas do governo Temer e em defesa dos bancos públicos

Sexta-feira, 3/11: Banrisulense veste preto contra os ataques do governo Sartori ao Banrisul.

Terça-feira, 7/11: Assembleia dos Bancários para definir a participação no Dia Nacional de Mobilizações e Paralisações convocado pelas centrais sindicais

Sexta-feira, 10/11: Dia Nacional de Paralisação contra as antirreformas do governo golpista e ato de mobilização em defesa do Banrisul público e contra a venda de ações.

Sábado, 11/11: Assembleia Nacional dos Banrisulenses.

 

 

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FACEBOOK

SERVIÇOS

CHARGES

VÍDEOS

O BANCÁRIO

TWITTER