Banrisul vai propor acordo a servidores, mas não impedirá acesso ao 13º

Após o governo de José Ivo Sartori lançar o pânico sobre os servidores públicos, anunciando que os funcionários com débitos não poderiam fazer o empréstimo exigido pelo Banrisul para que recebam o 13º salário através do banco estadual – com protesto das entidades de servidores e a solidariedade do SindBancários – a direção do banco modificou sua posição. Ao final da tarde de quinta-feira, 17/12, foi comunicado à Defensoria Pública do Estado que o cliente com pendências com o banco estadual vai receber uma proposta de acordo, mas não vai deixar de acessar o seu 13º salário.

Alegando faltas de condições de pagar o salário, o Estado optou por liberar financiamento com juro zero para os servidores. Mas parte deles não conseguiu sacar o 13º por já ter pendências com o banco. Agora, conforme a Defensoria, não vai haver coação para firmar acordo judicial ou extrajudicial junto à instituição financeira, como condição para a liberação da gratificação. O órgão de defesa público garante que se manterá atento a eventuais lesões aos direitos dos trabalhadores. Na verdade, a reunião com a Defensoria foi realizada com o propósito de evitar ações judiciais contra o banco, como a Fessergs já anunciou que vai fazer.

Na avaliação da Defensoria Pública, as tratativas realizadas hoje foram exitosas e ficou garantido, ainda, que o 13º salário também não vai ser negado para aqueles com ação judicial em trâmite contra o banco.

“Negar o 13º salário aos servidores é uma ilegalidade”, diz a diretora Ana Guimaraens, diretora de Comunicação do SindBancários e banrisulense. “Nós saudamos a medida da Defensoria Pública, pois o problema é da política recessiva implantada por esse governo, e não do banco”, complementa Ana.

 

Fonte: Imprensa SindBancários com informações da Rádio Guaíba

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FACEBOOK

SERVIÇOS

CHARGES

VÍDEOS

O BANCÁRIO

TWITTER