Banrisul não define PDV e fica de apresentar proposta na segunda, 14/9

Comissão de Negociação do Comando Nacional dos Banrisulenses espera avanços na próxima reunião e pede esclarecimentos a partir de incertezas dos colegas ante o pagamento da antecipação da PLR na sexta, 11/9

A reunião temática sobre Plano de Demissão Voluntária (PDV) do Banrisul, da sexta-feira, 11/9, entrou em compasso de espera. E se direcionou para outro tema que trouxe muitas incertezas para os Banrisulenses. Os negociadores do banco disseram que não tinham como apresentar índices de incentivo por razões burocráticas nem uma proposta fechada e definitiva de PDV e anunciaram que devem fazê-lo na reunião por videoconferência da próxima segunda-feira, 14/9, a partir das 13h30.

Os dirigentes também cobraram esclarecimentos dos negociadores do banco acerca do pagamento da antecipação da PLR, que gerou muitas incertezas entre os Banrisulenses. Os valores entraram nas contas bancárias na sexta, 11/9, um dia antes do aniversário de 92 anos do Banrisul.

Na questão do PDV, os dirigentes esperavam um movimento mais decisivo do banco no sentido de definir uma proposta. Isso não aconteceu na reunião da sexta.

A ideia era debater índices e avançar no sentido de uma proposta mais vantajosa para atender às expectativas de colegas que são aposentados e têm interesse em se desligar do banco de forma incentivada ou para aqueles em pré-aposentadoria, quer dizer, a 24 meses de se aposentar.

Os negociadores ficaram de apresentar proposta na próxima reunião, que acontecerá na tarde da segunda-feira próxima. Eles alegaram que precisam divulgar um Fato Relevante sobre as regras do PDV.

Os dirigentes advertiram que uma proposta negociada corre contra o tempo. Serão convocadas as assembleias no meio da semana que vem, conforme definido no acordo coletivo, e o banco precisa explicar em detalhes as regras do PDV. Na reunião anterior, o banco confirmou que serão 1.500 vagas e que o caráter voluntário será mantido (leia aqui).

Os dirigentes esclarecem que vão cumprir toda a agenda, esclarecer questões que eventualmente gerem dúvidas e favorecer uma decisão informada sobre a proposta com as regras claras de PDV. Em caso de aprovada a proposta, o SindBancários também irá se colocar à disposição para tirar dúvidas dos colegas que eventualmente se enquadrem no perfil e que queiram, voluntariamente, aderir.

O diretor da Fetrafi-RS, Fábio Alves, avalia o PDV como um instrumento que pode promover uma importante mudança de vida aos colegas. “Esperamos que o banco venha a apresentar uma proposta que contemple, se não a totalidade, uma grande maioria das pessoas aptas ao PDV. São aqueles aposentados e pré-aposentados. O banco não apresentou uma proposta hoje (sexta, 11/9), dizendo que estava melhorando a proposta. É nisso que a gente acredita. Que venha uma proposta interessante para aqueles colegas que vão para uma nova fase de suas vidas ao encerrar a atividade laboral de bancário”, salientou.

Valor compatível com o esforço

O secretário de Comunicação do Sintrafi de Florianópolis e Região. Cleberson Pacheco Eichholz, analisou o quase um mês de debates sobre o PDV e comparou com os objetivos dos representantes dos Banrisulenses. “O objetivo principal é fazer com que aquele colega que queira se desligar do banco neste momento saia com um valor compatível com o esforço que ele realizou no período em que esteve à frente do banco”, avaliou.

Cleberson exaltou o caráter democrático das negociações e o esforço dos dirigentes em preservar direitos dos colegas interessados em aderir ao PDV. “É importante que esteja claro para todos que a proposta que está sendo debatida será amplamente democrática, tendo em vista que ela vai passar por apreciação em assembleia. Posteriormente, se ela for aprovada, os colegas terão a oportunidade de aderirem se a proposta estiver de acordo com o que eles almejam. Ninguém poderá ser obrigado a aderir ao PDV”, detalhou Cleberson.

Sobre a divulgação do pagamento da PLR

O outro assunto debatido disse respeito a uma cobrança dos representantes dos Banrisulenses. Eles criticaram a forma como o banco noticiou para os colegas a formação do valor para o pagamento da PLR na sexta. Muitos colegas procuraram dirigentes da Fetrafi-RS, do SindBancários e de Sindicatos do Interior, indicando que o banco havia quebrado uma tradição ou cometido um erro.

O valor que entrou nas contas dos Banrisulenses não fechava com a regra básica da PLR negociada com a Fenaban, segundo as reclamações. O banco explicou que os 54% de antecipação previstos na regra de PLR da Fenaban correspondem a 48,7% do salário, já que são 54% de 90% dos proventos (leia nota do Sindicato aqui). A segunda parcela deve entrar até março de 2021, conforme CCT Fenaban.

Segundo o Presidente do SindBancários, Luciano Fetzner, o banco pecou em não explicar detalhadamente a mudança que decidiu aplicar nesse ano. “O Banrisul tinha a cultura de antecipar a PLR toda no aniversário do banco. Já que decidiram aplicar a letra fria da regra estabelecida na CCT dessa vez, deveriam ter deixado isso bem claro desde o início. Teria se evitado muito retrabalho e confusão.”

Democracia no processo

A diretora da Fetrafi-RS, Denise Falkenberg Côrrea, lembrou da premissa básica para a a construção de acordos coletivos negociados com os bancos. “A construção da proposta tem que observar acima de tudo a democracia. A proposta vai ser deliberada pela categoria e também o empregado(a) irá decidir sua adesão ao programa”, afirmou.

Assembleias

Ana Maria Betim Furquim, diretora da Fetrafi-RS, lembrou que a Campanha Salarial dos Banrisulenses 2020, como divulgado em reuniões e assembleias onde foi aprovada a proposta de PDV de dar ampla quitação do contrato de trabalho. “Fizemos vários debates com o banco e com todos membros do comando dos representantes dos Banrisulenses. Nossa principal premissa sempre foi para aposentados e pré-aposentados”, salientou Ana Furquim.

Sobre a reunião de hoje, Ana Furquim lembrou que o banco pediu para apresentar uma última proposta completa na próxima segunda feira, 14/9, a ser levada para assembleias conforme acordo coletivo assinado

A construção da proposta do PDV tem que observar acima de tudo a democracia ,  a proposta vai ser deliberada pela categoria e também o empregado/a irá decidir sua adesão ao programa .

Também participaram da reunião os dirigentes Gerson Kunrath (SEEB do Vale do Caí), o diretor da Fetrafi-RS, Sergio Hoff, o diretor da Fetrafi-RS, Luiz Carlos Barbosa, e o assessor jurídico da Fetrafi-RS, o advogado Milton Fagundes.

O Banrisul foi representado pelo negociador Fernando Perez, pelo superintendente de RH, Gaspar Saikoski, pelo superintendente jurídico, Paulo Henrique Pinto da Silva, e pelo analista da área de Gestão de Pessoas, Douglas Bernhard.

Fonte: Imprensa SindBancários

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FACEBOOK

SERVIÇOS

CHARGES

VÍDEOS

O BANCÁRIO

TWITTER