Banrisul lucrou R$ 691,4 milhões em 2014

A apresentação do balanço anual do Banrisul ocorreu na manhã desta quinta-feira (12), durante entrevista coletiva concedida à Imprensa, no Salão Nobre da Direção Geral do banco, em Porto Alegre. Além da Imprensa, diretores e funcionários do Banrisul, dirigentes sindicais bancários também acompanharam a divulgação do demonstrativo financeiro do banco. De acordo com os dados apresentados pelo presidente Túlio Zamin, o lucro líquido consolidado da instituição alcançou R$ 691,4 milhões em 2014.

O resultado, inferior ao registrado em 2013, teve o impacto de eventos extraordinários, entre eles estão as despesas com a reestruturação dos planos de benefícios da Fundação Banrisul de Seguridade Social e o Plano de Aposentadoria Incentivada. Já o lucro líquido ajustado do banco, que desconsidera eventos extraordinários, ficou em R$ 753 milhões, 4,9% abaixo dos números registrados em 2013. Enquanto isso, o patrimônio líquido da instituição teve um aumento de 10,1% em relação a 2013, alcançando R$ 5,7 bilhões em dezembro de 2014.

A carteira de crédito do Banrisul alcançou R$ 30,5 bilhões; com crescimento de 14,4% em relação a 2013. Durante a apresentação do balanço, Túlio Zamin – que será substituído em breve pelo economista Luiz Gonzaga Veras Mota – destacou as estratégias de futuro adotadas pela atual gestão do Banrisul, incluindo a expansão da rede de atendimento, a diversificação dos serviços para ampliação das receitas, a reestruturação do setor de cartões e os investimentos em Tecnologia da Informação.

O banco encerrou 2014 com 11.636 funcionários e uma média de 22,1 trabalhadores por agência. O índice de eficiência da instituição ficou em 55,3%, sendo que a cobertura de despesa de pessoal com serviços atingiu 81,3%.

Outros pontos positivos do balanço, conforme Zamin, são o crescimento das alternativas de negócios, o índice confortável de Basileia de 18% e a solidez da carteira de crédito do Banrisul.

“Com certeza, ao longo dos últimos anos, contribuímos para que o banco continue a serviço da sociedade gaúcha”, enfatizou Túlio Zamin.

Expectativa para o futuro

Questionado pela Fetrafi-RS sobre a possível influência da política de cortes e ajuste fiscal, anunciada pelo Governo Sartori, sobre a gestão do Banrisul enquanto banco público, o novo presidente, Luiz Gonzaga Veras Mota disse apenas que o governo está revendo as contas públicas e as medidas de ajuste podem ter reflexos sobre o crescimento econômico. Segundo ele, isto pode deixar os bancos mais cautelosos na concessão de crédito. “O Banco tem uma diretoria técnica e vai manter a mesma cautela no crédito que está tendo hoje”, finalizou Veras Mota.

Fonte: Comunicação/Fetrafi-RS
Texto e foto: Marisane Pereira – Mtb/RS9519

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FACEBOOK

SERVIÇOS

CHARGES

VÍDEOS

O BANCÁRIO

TWITTER