Há 50 dias, diretoria do Banrisul vira as costas e desrespeita reivindicações dos Banrisulenses

Uma diretoria que não respeita o processo de negociação nem as demandas dos Banrisulenses. É esta falta de respeito que ficou clara nestes primeiros momentos da gestão. Nesta quarta-feira, 27/5, chegamos a 50 dias sem que os diretores respondam um pedido de audiência feito em conjunto pela diretoria do SindBancários e da Fetrafi-RS. É inadmissível em tempos de democracia que uma diretoriade um banco público vire as costas para os trabalhadores. A atua gestão não quer ver, não quer ouvir, nem quer falar sobre o que os Banrisulenses têm a dizer sobre as dificuldades que passam no seu dia a dia.

No dia 7 de abril, o SindBancários enviou ofício (Confira cópia ao final da reportagem) ao banco para pedir esclarecimentos sobre quatro temas considerados como de fundamental importância para os banrisulenses (Leia aqui). Até o momento, nenhuma resposta, formal ou informal, foi dada pela direção. Os questionamentos são quanto à abertura do capital da nova seguradora; a implementação do novo Plano de Carreira; a realização de um novo concurso público para contratação de mais funcionários e a reabertura da migração para FBSS.

“A falta de diálogo não é boa nem para os trabalhadores nem para o banco. O governador Sartori prometeu diálogo e a busca conjunta para solução de problemas, mas na prática ele ignora e vira as costas para os bancários. Cerca de 12 mil colegas estão ansiosos pelo Plano de Carreira. Também precisamos saber detalhes sobre a abertura de capital ou venda da participação do Banrisul na Rio Grande do Sul Seguros. Essas notícias incompletas deixam os banrisulenses intranquilos e isso reflete no ambiente de trabalho”, analisa o presidente do SindBancários, Everton Gimenis.

As informações sobre a venda de 49,99% da participação da Rio Grande do Sul Seguradora, parceria do Banrisul com a Icatu Seguros, foram veiculadas pelo jornal Zero Hora e sugere que o negócio valeria bilhões. O SindBancários entende que qualquer negócio que envolva a venda de patrimônio do banco precisa ser autorizados por plebiscito, conforme define a Constituição Estadual em seu Artigo 22º, parágrafos 2º e 3º.

O Plano de Carreira, por sua vez, é uma das mais antigas reivindicações dos banrisulenses e resultou em um amplo debate nos últimos quatro anos. Uma comissão paritária, envolvendo trabalhadores e banco foi formada e, após diversas reuniões, sugestões de funcionários do Banrisul e Seminários sobre o assunto, uma proposta era aguardada no dia 30 de abril. Nada foi apresentado.

Já o novo prazo para migração na FBSS busca não onerar os participantes que continuam no Plano de Benefícios I e estão pagando um percentual elevado como contribuição extraordinária. O concurso público busca repor vagas de colegas que foram realocados para novas agências. O Banrisul está em expansão e não é justo que colegas trabalhem muito mais, pois isso tem repercussão na saúde.

Confira a cópia do ofício enviado pela diretoria do SindBancários e da Fetrafi-RS

 

 

Fonte: Imprensa/SindBancários

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FACEBOOK

SERVIÇOS

CHARGES

VÍDEOS

O BANCÁRIO

TWITTER