Bancários se mobilizam para participar do Dia Nacional de Paralisação e Mobilização contra a Reforma da Previdência nesta quarta, 15/3

Os bancários sabem que o governo Temer está tramando um ataque frontal para arrasar com os nossos direitos. Um deles é a PEC 287, que já tramita no Congresso Nacional, e vai acabar com a nossa aposentadoria. A investida do governo Temer contra as nossas conquistas se estende à terrível terceirização e à Reforma Trabalhista. Estão em jogo direitos que conquistamos com muita luta e por muito tempo.

Para frear essa estratégia de arrasa-quarteirão, que é um verdadeiro golpe aos nossos direitos, somente a participação, a mobilização e a luta. Nesta quarta-feira, 15/3, desde cedo, os bancários e as bancárias estarão mobilizados para participar do Dia Nacional de Paralisação e Mobilização contra a Reforma da Previdência, a PEC 287. A partir das 7h30 da manhã, os bancários se concentram na Praça da Alfândega, entre o Banrisul e a Caixa, no Centro Histórico de Porto Alegre. A partir das 17h, os bancários participarão da grande caminhada em defesa dos direitos dos trabalhadores que partirá da Esquina Democrática, Centro Histórico de Porto Alegre.

Vamos fortalecer a nossa união, defender as nossas conquistas e os nossos direitos contra uma Reforma da Previdência que quer acabar com a nossa aposentadoria. O governo Temer quer fazer a gente trabalhar até morrer. Homens e mulheres só podem se aposentar com 65 anos de idade. Para ter aposentadoria integral, vamos ter que trabalhar 49 anos sem ficar um único dia desempregados.

A participação dos bancários no Dia Nacional de Paralisação e Mobilização contra a Reforma da Previdência (PEC 287) foi decidida, por ampla maioria, em assembleia, na noite da segunda-feira, 13/3. A decisão, com apenas um voto de abstenção, veio ao encontro da orientação de participação nos atos, movimentos e protestos, feito pela Centrais Sindicais desde janeiro passado. O SindBancários seguiu todos os trâmites legais, inclusive publicou anúncio público de aviso de participação no jornal Correio do Povo.

O presidente do SindBancários, Everton Gimenis, explicou que o contexto social e político que pesa sobre os trabalhadores e que se apresenta sob a forma de Projetos de Lei que atacam direitos conquistados com muita luta pressiona á mobilização para a defesa de direitos. “A Reforma da Previdência é um dos ataques violentos que estamos sofrendo no contexto de golpe promovido pelo governo Temer. Querer tirar a nossa aposentadoria é muito grave. Mas o problema é que ainda temos a Reforma Trabalhista e a terceirização”, avaliou.

Em relação à terceirização, o presidente do SindBancários fez um alerta em relação à ao fato de o presidente da Câmara do Deputados, Rodrigo Maia, ter tirado da gaveta o PL 4302/98, um dos muitos projetos de lei que querem terceirizar a atividade fim. “Na verdade, estamos sofrendo um conjunto de ataques aos nossos direitos que visam acabar com carteira assinada, décimo terceiro e férias para aumentar lucro de grandes empresários, como os banqueiros. O presidente da Câmara retirou o projeto da terceirização da tramitação, mas avisou que deve reapresentar em uma sem Ana. Se n[os não nos mobilizarmos, vamos perder tudo, ayé direitos básicos conquistados com muita luta”, finalizou Gimenis.

Dia Nacional de Paralisação e Mobilização

7h30: Concentração na Praça da Alfândega entre a Caixa e a Agência Central do Banrisul, Centro de Porto Alegre.

17h: Concentração para caminhada em Defesa dos direitos dos trabalhadores na Esquina Democrática, Centro de Porto Alegre.

Fonte: Imprensa SindBancários

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FACEBOOK

SERVIÇOS

CHARGES

VÍDEOS

O BANCÁRIO

TWITTER