Bancários e bancárias do Bradesco analisam conjuntura e definem propostas para encontro nacional

Evento foi aberto pelo diretor da Contraf-CUT Adilson Barros, que fez uma análise da conjuntura nacional, especialmente do cenário político

Os empregados e empregadas do Bradesco se encontraram nesta terça-feira, 10 de maio, pelo Zoom, para discutir as pautas que serão levadas ao Encontro Nacional. Foram aprovadas resoluções para melhoria do acordo coletivo com o Santander no que se refere à segurança de clientes e bancários nas agências bancárias, à diversidade cultural e à saúde dos trabalhadores e trabalhadoras.

O evento foi aberto pelo diretor da Contraf-CUT Adilson Barros, que fez uma análise da conjuntura nacional, especialmente do cenário político e das próximas eleições presidenciais. Para ele, a palavra de ordem este ano é “ousadia e resistência”, para enfrentar uma campanha nacional que será dificultada pela influência política.

Barros falou sobre a importância da defesa da democracia e de compreender a linguagem digital nos novos tempos. “O pessoal jovem precisa ter a compreensão de um sindicato forte, precisamos continuar contando a história e buscarmos dialogar sempre com a juventude, que podem nos ajudar muito mudar o atual cenário político”, afirmou.

Na sequência, a técnica do Dieese Vivian Machado, apresentou uma análise do balanço do primeiro trimestre do Bradesco e destacou que tanto este quando os demais bancos irão sentar à mesa de negociação com um discurso de que a conjuntura econômica não favorece aumento salarial. Contudo, destacou Vivian, os bancos ganham muito dinheiro com a alta da inflação e podem, sim, repassar seus lucros para os seus empregados. “Vai ser difícil, mas vocês vão sair dessa campanha vitoriosos, novamente”, ressaltou.

Diversidade

O diretor de Diversidade e Combate ao Racismo do SindBancários Porto Alegre e Região, Sandro Rodrigues, apresentou mais uma vez, um resumo da pesquisa feita pelo sindicato, sobre as discriminações sofridas pela população LGBTQIA+, afrodescendentes, mulheres, jovens e pessoas com deficiência no trabalho bancário. Os dados trazem à tona situações bastante reveladoras sobre o assunto que servirão de base para o debate sobre políticas afirmativas dentro dos bancos.

Ao final do Encontro, o representante gaúcho na Comissão de Organização dos Empregados do Bradesco, Sandro Cheiran, colocou os pontos da minuta de reivindicações que será levada ao Encontro Nacional por banco e a definição sobre a quantidade de delegados(as) que o Rio Grande do Sul poderá levar para o evento: doi presenciais e três online, que serão escolhidos pelas forças que compõem os sindicatos. Entretanto, ressaltou Cheiran, a Fetrafi-RS está buscando ampliar o número de representantes remotos.

Fonte: Fetrafi-RS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FACEBOOK

SERVIÇOS

CHARGES

VÍDEOS

O BANCÁRIO

TWITTER