Bancários decidem em assembleia participar dos atos e ações do Dia Nacional de Mobilizações convocado pelas centrais sindicais para a sexta, 10/11

A próxima sexta-feira, 10/11, será marcada por atividades de trabalhadores em todo o Brasil contra os ataques sem precedentes que o governo golpista de Michel Temer tem desferido nos direitos dos trabalhadores. Além de ser a véspera do dia em que a Reforma Trabalhista passa a vigorar como Lei 13.467 e acabar com inúmeras conquistas, os bancários elegeram este dia, por ampla maioria, em assembleia, na terça-feira, 7/11, na Casa dos Bancários, para se dedicarem a defender os bancos públicos. Portanto, além de se mobilizarem contra a Reforma Trabalhista e a Reforma da Previdência, os bancários irão realizar ações de esclarecimento à população sobre a importância da manutenção da Caixa, Banco do Brasil, Banrisul, Badesul e BRDE como bancos públicos.

A assembleia também decidiu a realização de um Ato de Defesa do Banrisul Público em frente à sede da Direção Geral (DG) do Banrisul, a partir das 11h da sexta-feira. Será também um ato de esclarecimento e diálogo com a população a respeito da reestruturação do Banrisul. Esse processo de reestruturação se iniciou no mês passado com o fechamento de 15 agências fora do Estado e segue com o anúncio do governo Sartori de venda de ações do banco. Na mesma assembleia da terça-feira, os bancários aprovaram moções de repúdio contra a ação da Polícia Civil e do Grupo RBS de criminalização de movimentos anarquistas e movimentos sociais libertários e de apoio às greves dos professores e dos municipários e de repúdio às perseguições a colega do Banco do Brasil (Leia as moções ao final desta reportagem).

Há um processo de reestruturação e desmonte na Caixa, no Banco do Brasil em todos os bancos públicos. O Temer, inclusive, lançou um decreto na véspera do feriado que facilita a venda de empresas mistas como o Banco do Brasil. Nós, bancários, temos que levar nossa capacidade de luta para iniciar um processo de resistência. O Banrisul está sofrendo um ataque para ser desmontado em que a venda de ações vai levar à perda de governança. O dinheiro vai acabar no caixa único e talvez nem dê para pagar uma folha de pagamento do funcionalismo público. É um péssimo negócio para o povo gaúcho”, explicou o diretor de comunicação do SindBancários, Mauro Salles.

Para o diretor do SindBancários e secretário de comunicação da CUT-RS, Ademir Wiederkehr, os bancários precisam ficar conscientes da importância de lutar para impedir que a lei da Reforma Trabalhista seja aplicada e retire direitos conquistados e para evitar que a Reforma da Previdência seja aprovada no Congresso Nacional. “Os banqueiros são os mais interessados na Reforma da Previdência e, por isso, pressionam o Temer. Muita gente não se deu conta ainda o que a Reforma Trabalhista representa. Na sexta-feira, em todo o país, vamos debater com os trabalhadores e mostrar que esta luta não está perdida. Tem muita gente lutando, porque muitas medidas afrontam a Constituição. Vai ter resistência do movimento sindical e da Justiça do Trabalho”, assinalou Ademir.

Calendário de Mobilizações dos bancários na sexta-feira, 10/11

Dia Nacional de Mobilizações contra as Reformas Trabalhista e da Previdência e em Defesa dos Bancos Públicos

11h: Ato contra o Desmonte, a venda de ações e em Defesa do Banrisul Público. Em frente ao prédio da Direção Geral (DG) do Banrisul (Rua Caldas Junior, 108, Centro Histórico de Porto Alegre).

16h: Abraço ao Tribunal Regional do Trabalho 4ª Região (Avenida Praia de Belas, 1.100, Bairro Praia de Belas, Porto Alegre). Após o ato, caminhada até a Esquina Democrática.

18h: Ato Unificado das Centrais Sindicais contra as Reformas Trabalhista e da Previdência e contra o Trabalho Escravona Esquina Democrática, Centro Histórico de Porto Alegre.

Leia aqui as moções aprovadas na assembleia dos bancários

 

 

 

Fonte: Imprensa SindBancários

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FACEBOOK

SERVIÇOS

CHARGES

VÍDEOS

O BANCÁRIO

TWITTER