Bancários anunciam ofensiva jurídica contra venda de ações em ato em defesa do Banrisul público

Preste atenção à sucessão de fatos desde a tarde da sexta-feira, 6/4. Neste dia, o governo de José Ivo Sartori jogou a toalha e recuou. Anunciou por meio de fato relevante que não venderia mais ações do Banrisul. Você prestou atenção mesmo? Agora, guarde a expressão “fato relevante”. Sim, porque na calada da noite, nesta segunda-feira, 9/4, o governo usou o jornal Zero Hora para divulgar que ia vender ações novamente do Banrisul para obter recursos e pagar a folha dos servidores públicos em dia. E o fato relevante?

Ora, o golpe do governo Sartori foi utilizar o jornal como um grande espaço de edital, um parceiro na entrega de ações que foram realmente vendidas por volta do meio-dia desta terça-feira, 10/4 por cerca de R$ 484 milhões. Mesmo dia de um ato em Defesa do Banrisul em frente a DG em Porto Alegre. Mesmo dia de uma assembleia de acionistas que foi desenhada para abrir a oferta de ações da Banrisul Cartões.

Pois é. O que estamos dizendo vamos procurar deixar ainda mais claro agora. O que houve nestes dias que enunciamos no início desta reportagem foi uma operação suspeitíssima em que a diretoria do Banrisul e o jornal Zero Hora sabiam e, portanto, se deixaram usar pelo governo Sartori.

O mais grave. Está faltando transparência nisso tudo. O valor arrecadado por ação foi R$ 18,65. E o que foi arrecadado mal dá para pagar um terço de uma folha de pagamento dos servidores públicos do Estado. Foi para denunciar essa tramoia, esse conluio macabro que o SindBancários e a Fetrafi-RS organizaram um ato em defesa do Banrisul Público na terça-feira, 10/4, em frente a DG do Banrisul, no Centro de Porto Alegre. No mesmo ato, as duas entidades representantes dos trabalhadores anunciaram que estudavam a estruturação de ações jurídicas para avaliar ilegalidades no processo de venda das ações do Banrisul e para questionar a assembleia de acionistas.

O governo Sartori atingiu seus objetivos. Entregou ações do banco dos gaúchos. A RBS já disse que vão fortalecer o caixa do governo do Estado e pagar a folha. Não é nada disso. Foi uma parceria para enfraquecer o banco e baratear a sua venda. É uma total falta de transparência. Alguém sabe quem ganha com esta venda? Não é possível que haja de forma tão escondida e faça uma operação muito suspeita. Ontem (segunda-feira, 9/4), as ações estavam em média a R$ 20. Hoje (terça, 10/4), as bolsas caíram e venderam por R$ 18,65. Alguém ganhou com essas operações e alguém perdeu”, denunciou o diretor da Fetrafi-RS e funcionário do Banrisul, Carlos Augusto Rocha.

O presidente do SindBancários, Everton Gimenis, informou que tanto o SindBancários quanto a Fetrafi-RS já estudam uma forma de ingressar com algum tipo de ação jurídica para questionar a transparência do processo. “Não é possível que o governo anuncie que desiste de vender ações por meio de fato relevante num dia e dois ou três dias depois, por meio de manchete de jornal, coloque à venda e venda as ações que negou que venderia. Vamos procurar questionar na Justiça sim. Cada um dos processos precisam ser averiguados. Essa pressa, esse afogadilho são extremamente suspeitos”, analisou Gimenis.

Fonte: Imprensa SindBancários

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FACEBOOK

SERVIÇOS

CHARGES

VÍDEOS

O BANCÁRIO

TWITTER