Bancárias e bancários do BB aprovam moção de repúdio à cultura machista e ao assedio sexual

O 27º Congresso Nacional dos Funcionários do Banco do Brasil, realizado nos dias 17 a 19 de junho, em São Paulo, aprovou moção de repúdio contra o assédio sexual. ”Repudiamos a cultura machista e o assédio sexual em todos os espaços, inclusive no movimento sindical”, afirma o texto. “Um dos compromissos da representação sindical é o de transformação da sociedade, rompendo paradigmas do machismo, garantindo espaço, respeito e inclusão real das mulheres trabalhadoras. Por isso, este movimento deve ter como prioridade combater todas as atitudes machistas, a violência e a desqualificação contra a mulher, já tão atacada pela estrutura social predatória do capitalismo”, salienta a moção aprovada.

Leia a íntegra do texto:

Moção de repúdio contra o assédio sexual 

Nós, mulheres funcionárias do BB, organizadas neste 27 Congresso, repudiamos a cultura machista e o assédio sexual em todos os espaços, inclusive no movimento sindical. Um dos compromissos da representação sindical é o de transformação da sociedade, rompendo paradigmas do machismo, garantindo espaço, respeito e inclusão real das mulheres trabalhadoras. Por isso, este movimento deve ter como prioridade combater todas as atitudes machistas, a violência e a desqualificação contra a mulher, já tão atacada pela estrutura social predatória do capitalismo.

É inadmissível que, num espaço que deveria ser nosso, sejamos frequentemente assediadas pelos companheiros. Não toleramos manifestações ofensivas e violentas, como “piadinhas”, chacotas, desqualificações e intimidades não concedidas. Estamos unidas, independentemente de correntes políticas, para lutar contra o machismo, utilizando todos os meios possíveis, inclusive os legais, para punir os responsáveis.

A mudança desta cultura machista é tarefa das mulheres e homens trabalhadoras(es) e chamamos a todas e todos a assumirem conosco esta tarefa.

Paridade de gênero no próximo congresso

Em 2017, no 28º Congresso terá paridade de gênero. A proposta foi aprovada por unanimidade pelos delegados e delegadas do 27º Congresso.

A decisão vai ampliar a participação feminina, assegurando a representatividade das mulheres que, apesar de ocuparem metade dos postos de trabalho, têm uma participação minoritária neste importante espaço de discussão do movimento nacional da categoria. No Congresso deste ano, dos 323 delegados presentes, 111 eram mulheres, 34,36% do total

A proposta de paridade foi apresentada no grupo de Organização do Movimento para ser votada.  Após construído acordo, a coordenação da mesa sugeriu a aprovação da proposta por consenso, sem necessidade de votação.

 

Fonte: SindBancários com CUT-RS e Rede Nacional de Comunicação dos Bancários

 

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FACEBOOK

SERVIÇOS

CHARGES

VÍDEOS

O BANCÁRIO

TWITTER