Badesul anuncia medidas econômicas para enfrentar coronavírus

Agência pública de fomento vai liberar R$ 250 milhões para renegociações e busca ampliar fomento junto ao BRDE

Mais uma vez, no momento de extrema dificuldade causado pela pandemia do coronavírus, os bancos e instituições financeiras públicos do estado do Rio Grande do Sul dão importante mostra de sua força, valor e função. Na quinta-feira (2/4), o Badesul Desenvolvimento – Agência de Fomento RS adotou um plano de ação para combater os impactos causados pela pandemia do coronavírus, contribuindo economicamente e socialmente para o estado.

O governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, deveria observar com especial atenção este momento por que passa o Estado. Agora, em meio ao combate de uma pandemia, os bancos públicos, como o Badesul e o BRDE, que já garantiu R$ 500 milhões para o capital de giro de micro e pequenas empresas, são importantes armas na luta.

Leite deveria lembrar deste tipo de situação quando sinaliza que deseja vender o Banrisul, como projetos que tramitamna Assembleia Legislativa, a exemplo da PEC 280/2019, deixam evidente que manter uma instituição pública ajuda a enfrentar crises globais.

“Se tem algo que a crise da pandemia ensina a quem quiser aprender é que não tem mais como os gestores públicos defenderem com agressividade a austeridade e a redução do Estado. O Badesul é um banco público que tem funcionários competentíssimos e vai ajudar muito na recuperação da economia e no combate à COVID-19”, salientou o presidente do SindBancários, Everton Gimenis.

As iniciativas do Badesul são voltadas ao apoio financeiro às empresas gaúchas por meio do oferecimento de novas operações de crédito. “O Badesul analisa, planeja e implementa ações específicas visando colaborar positivamente, ainda mais com oEestado frente à pandemia da Covid-19 que atravessamos”, salienta a presidente do Badesul, Jeanette Lontra.

A instituição anunciou quatro ações:

1 – Disponibilização de R$ 250 milhões para renegociações.

2 – Postergação de pagamento de até seis meses para as operações de Fungetur.

3 – Disponibilização de R$ 20 milhões para giro de micro e pequenas empresas do setor de turismo. Desse total, R$ 15 milhões foram recebidos este ano do Ministério do Turismo para operações por meio do Fungetur e serão destinados para apoiar as necessidades das pequenas empresas de turismo.

4 – A diretoria do Badesul negocia um aumento de limites operacionais com o BNDES para ampliar sua atuação com operações de crédito para as empresas gaúchas.

Com informações de Badesul Desenvolvimento – Agência de Fomento RS, edição de Imprensa SindBancários

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FACEBOOK

SERVIÇOS

CHARGES

VÍDEOS

O BANCÁRIO

TWITTER