Ato da CUT-RS e centrais aumenta pressão contra reforma da Previdência

A CUT-RS e centrais promoveram na madrugada desta segunda-feira, 20/2, a partir das 5h, uma manifestação contra as reformas da Previdência e trabalhista no Aeroporto Salgado Filho, em Porto Alegre. O protesto chamou a atenção dos passageiros e trabalhadores das empresas aéreas e abriu espaço em algumas rádios da Capital.

Munidos com faixas, adesivos e cartazes afixados nos chamados “pirulitos” com fotos de deputados e senadores que apoiam o governo Temer, os dirigentes sindicais de várias categorias distribuíram o jornal especial da CUT-RS, federações e sindicatos filiados contra a reforma da Previdência.

“Observamos uma boa aceitação do jornal e recebemos várias manifestações de apoio à nossa luta contra a reforma da Previdência”, avalia o secretário de Relações do Trabalho da CUT-RS, Antonio Güntzel.

Para ele, “essa reforma representa o fim da aposentadoria, pois, se for aprovada, quase ninguém mais conseguirá se aposentar. Não é possível trabalhar até morrer ou morrer trabalhando”,

“Temos que fazer muitas panfletagens e manifestações para esclarecer a sociedade sobre a perversidade das reformas do governo ilegítimo de Michel Temer (PMDB), pressionar os deputados e senadores da base de Temer para que votem contra essas propostas e construir uma greve geral para defender os direitos tão duramente conquistados pela classe trabalhadora”.

Estiveram presentes também os diretores da CUT-RS, Amarildo Cenci e Ademir Wiederkehr, e dirigentes da Federação Democrática dos Sapateiros do RS, Sindicato dos Metalúrgicos de Porto Alegre, Sindicato dos Metalúrgicos de Sapiranga, Sindicato dos Sapateiros de Sapiranga, Sindicato dos Metalúrgicos de Novo Hamburgo, Sinttel-RS, Sinpro-RS, Sindicato dos Bancários de Porto Alegre e SindVigilantes do Sul.

Compareceram também dirigentes da CTB-RS, UGT e Nova Central.

Plenária estadual da CUT-RS nesta terça

A manifestação no Aeroporto abriu mais uma semana de luta da CUT-RS, federações e sindicatos filiados. Nesta terça-feira, 21/2, às 9h, será realizada uma plenária estadual, no auditório do CPERS Sindicato, no centro da capital gaúcha, para definir as mobilizações do próximo período.

“Estamos organizando comitês sindicais e populares nos municípios do Estado, a fim de despertar o conjunto da sociedade para a crueldade das reformas de Temer que, além de retirar direitos sociais, trabalhistas e previdenciários, visam fazer o trabalhador pagar o pato, enquanto o dinheiro da nação continua enriquecendo o rentismo, o capital financeiro e os grandes empresários”, salienta Antonio.

Fonte: CUT/RS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FACEBOOK

SERVIÇOS

CHARGES

VÍDEOS

O BANCÁRIO

TWITTER