Ataques ao BB e Caixa de Arvorezinha deixam um refém morto, no esquema conhecido como “Novo Cangaço”

Uma pessoa utilizada como refém durante a fuga dos criminosos que assaltaram as agências do Banco do Brasil e da Caixa Econômica Federal, na tarde da quinta-feira, 09/12, no Centro da cidade de Arvorezinha, foi a vítima fatal do ataque. Ela teria sido morta com um tiro pelos assaltantes ao abandonarem um dos três veículos utilizados na fuga, no interior do município. Conforme testemunhas, sete ou oito homens armados com fuzis e escopetas realizaram os assaltos aos bancos, que ficam próximos, e fizeram um cordão humano de isolamento da ação.

População como escudo humano

A tática e o modo de agir configuram o esquema conhecido como “Novo Cangaço”, quando os ladrões usam a população como escudo contra a reação policial. Apesar de serem cercados por policiais e terem os pneus dos carros furados a bala no tiroteio, os ladrões conseguiram fugir a pé por uma estrada da região, após colocar fogo em um dos veículos. A vigilante de uma das agências bancárias chegou a ser ferida sem gravidade, e liberada depois de receber cuidados médicos

Quinto ataque na região

Arvorezinha, na Região Nordeste do estado, conta com pouco mais de dez mil moradores. Segundo a Polícia Civil, este foi o quinto ataque a banco na região neste ano: antes, houve dois assaltos a bancos em Pitinga e outros dois em Fontoura Xavier.

Fonte: Imprensa SindBancários com informações da Rádio Guaíba/Correio do Povo e foto do ClicRBS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FACEBOOK

SERVIÇOS

CHARGES

VÍDEOS

O BANCÁRIO

TWITTER