Assembleia dos bancários confirma GREVE, terça, 30/9. Confira calendário da primeira semana

A partir desta terça, 30/9, a nossa resposta a duas propostas insuficientes e à enrolação nas mesas de negociação será com GREVE. Reunidos em assembleia no Clube do Comércio nesta segunda, 29/9, os bancários disseram não às propostas de 7,35% para todas as verbas salariais e 8% nos pisos e reafirmaram sua disposição de lutar por uma proposta melhor e por melhores condições de trabalho. Os bancários também definiram calendário de lutas da primeira semana de paralisação.

O presidente do SindBancários, Everton Gimenis, lembrou que os banqueiros pouco aumentaram a proposta anterior, do dia 19/9, de 7% para as verbas salariais e 7,5% no piso em uma reunião convocada de última hora no sábado (25/9). “Posso dizer que fiquei decepcionado, primeiro por ouvir na mesa que nossa greve era precipitada. Depois, porque não vimos avanços em questões chaves, como o combate ao assédio moral, mais segurança e mais emprego. Nem mesmo em questões econômicas, como uma regra melhor para a Participação de Lucros e Resultados (PLR), houve progressos”, afirmou Gimenis.

Todas as manifestações demonstraram o descontentamento da categoria com as duas propostas apresentadas pela Fenaban e com a enrolação nos 50 dias de Campanha Salarial. Diretora de Comunicação do SindBancários, Ana Guimaraens, do Banrisul, chamou a atenção para a necessidade da luta ser construída a partir da unidade de todos os bancários. “Não podemos esquecer que a greve é de todos os bancários. É o momento de nos unirmos e construirmos juntos o movimento, indo para a frente das agências. Esta precisa ser nossa prioridade”, analisou.

O diretor de Esportes, Cultura e Lazer do SindBancários, Tiago Pedroso, da Caixa, lembrou que a greve é um processo que se constrói diariamente, com o auxilio de todos os bancários. “Primeiro, temos que lembrar que o contrato de trabalho de todos está suspenso durante a greve. Depois, que as informações estarão disponíveis nos meios de comunicação dos sindicatos e que devemos ter muito cuidado com boatos.

Por fim, que depende de nós fazer uma greve maior a cada dia, conscientizando os colegas sobre a necessidade de cruzarem os braços, aumentando assim o número de adesões”, complementou.

Já o diretor e funcionário do Santander, Paulo Stekel, analisou que a campanha salarial é construída durante os 365 dias do ano. “Temos que continuar construindo o movimento, todos os dias, e saber que precisamos ampliar a mobilização para alcançarmos nossas reivindicações”, concluiu o diretor.

Assista aqui o vídeo com final da assembleia.

Veja fotos da assembleia desta terça, 29/9.

Central da Greve

Na Casa dos Bancários (General Câmara, 424), a categoria encontrará adesivos e materiais de campanha para auxiliarem na mobilização. Já na Praça da Alfândega, entre o Banrisul e a Caixa, um carro de som estará presente todos os dias, a partir das 8h, onde os bancários se concentram para seguir aos piquetes. A partir das 11h, ocorrem apresentações musicais.

CENTRAL DE GREVE

(51) 8191-9247 (adicione ao seu WhatsApp)
(51) 3433-1202
(51) 3433-1200

Informação confiável é com o SindBancários

www.sindbancarios.org.br

https://www.facebook.com/SindBancarios.PoA

twitter: @sindbancarios

Calendário de Luta

1º dia de greve – Terça-feira, 30/9
8h – Concentração dos Bancários – Praça da Alfândega entre o Banrisul e a Caixa.
2º dia de GREVE – Quarta-feira, 1º/10
8h – Concentração dos Bancários – Praça da Alfândega entre o Banrisul e a Caixa.

Meio-dia –Ato Acorda, Banrisul – Pressionar o banco, que cancelou a mesa de negociação sobre o Plano de Carreira.

3º dia de GREVE – Quinta-feira, 2/10
8h – Concentração dos Bancários – Praça da Alfândega entre o Banrisul e a Caixa.
12h – Ato Público por um Banco Central independente do mercado financeiro e contra às terceirizações e correspondentes bancários (Alberto Bins, 348 – Centro de PoA).
15h – Plenária dos bancários no Clube do Comércio (Andradas, 1.085 – Centro PoA).
4º dia de GREVE – Sexta-feira, 3/10
8h – Concentração dos Bancários – Praça da Alfândega entre o Banrisul e a Caixa.
12h – Caminhada da Pressão – Concentração entre a Caixa e o Banrisul na Praça da Alfândega.
OBS: Na concentração dos bancários estará diariamente um CARRO DE SOM a partir das 8h, com apresentações musicais a partir das 11h.

Proposta econômica da Fenaban em 27/9

Reajuste de 7,35% (0,94% de aumento real).
Piso portaria após 90 dias – 1.240,89 (8% ou 1,55% de aumento real).
Piso escritório após 90 dias – R$ 1.779,97 (1,55% acima da inflação).
Piso caixa/tesouraria após 90 dias – R$ 2.403,60 (salário mais gratificação mais outras verbas de caixa), significando 1,55% de aumento real).
PLR regra básica – 90% do salário mais R$ 1.818,51, limitado a R$ 9.755,42. Se o total ficar abaixo de 5% do lucro líquido, salta para 2,2 salários, com teto de R$ 21.461,91.
PLR parcela adicional – 2,2% do lucro líquido dividido linearmente para todos, limitado a R$ 3.637,02.
…………………………………………………………
Antecipação da PLR
Primeira parcela depositada até dez dias após assinatura da Convenção Coletiva e a segunda até 2 de março de 2015.
Regra básica – 54% do salário mais fixo de R$ 1.091,11, limitado a R$ 5.853,25 e ao teto de 12,8% do lucro líquido – o que ocorrer primeiro.
Parcela adicional – 2,2% do lucro líquido do primeiro semestre de 2014, limitado a R$ 1.818,51
………………………………………………………….
Auxílio-refeição – R$ 24,88.
Auxílio-cesta alimentação e 13ª cesta – R$ 426,60.
Auxílio-creche/babá (filhos até 71 meses) – R$ 355,02.
Auxílio-creche/babá (filhos até 83 meses) – R$ 303,70.
Gratificação de compensador de cheques – R$ 137,97.
Requalificação profissional – R$ 1.214,00.
Auxílio-funeral – R$ 814,57.
Indenização por morte ou incapacidade decorrente de assalto – R$ 121.468,95.
Ajuda deslocamento noturno – R$ 85,03.

Pauta de reivindicações dos bancários à Fenaban

> Reajuste salarial de 12,5%.
> PLR: três salários mais R$ 6.247.
> Piso: R$ 2.979,25 (equivalente ao salário mínimo do Dieese em valores de junho último).
> Vales alimentação, refeição, 13ª cesta e auxílio-creche/babá: R$ 724,00 ao mês para cada (salário mínimo nacional).
> Melhores condições de trabalho com o fim das metas abusivas e do assédio moral que adoecem os bancários.
> Emprego: fim das demissões, mais contratações, aumento da inclusão bancária, fim da rotatividade, combate às terceirizações diante dos riscos de aprovação do PL 4330 na Câmara Federal, do PLS 087 no Senado e do julgamento de Recurso Extraordinário com Repercussão Geral no STF. Além da aprovação da Convenção 158 da OIT, que proíbe as dispensas imotivadas. Veja aqui a Carta de Atibaia, manifesto dos bancários contra a terceirização aprovado pela Conferência.
> Plano de Cargos, Carreiras e Salários (PCCS): para todos os bancários.
> Auxílio-educação: pagamento para graduação e pós.
> Prevenção contra assaltos e sequestros. Cumprimento da Lei 7.102/83 que exige plano de segurança em agências e PABs, garantindo pelo menos dois vigilantes durante todo o horário de funcionamento dos bancos. Instalação de portas giratórias com detector de metais na entrada das áreas de autoatendimento das agências. Fim da guarda das chaves de cofres e agências por bancários.
> Igualdade de oportunidades para todos, pondo fim às discriminações nos salários e na ascensão profissional de mulheres, negros, gays, lésbicas, transexuais e pessoas com deficiência (PCDs).

Crédito foto: Brayan Martins

Fonte: Imprensa SindBancários

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FACEBOOK

SERVIÇOS

CHARGES

VÍDEOS

O BANCÁRIO

TWITTER