Assembleia de bancários aprova por unanimidade balanço financeiro e patrimonial do exercício de 2016

Bancários e bancárias reunidos em Assembleia Geral Ordinária na noite da quarta-feira, 28/6, no auditório da Casa dos Bancários, aprovaram por unanimidade a Prestação de Contas e o Balanço Financeiro e Patrimonial do Exercício de 2016 do SindBancários. Mais uma vez, as contas fecharam com superávit. O superávit do exercício deste ano cresceu em relação ao do ano passado, chegando a R$ 2.884.952,82 ante R$ 34.601,45, de 2015.

Esse saldo foi maior em função das vitórias conquistadas pela diretoria do Sindicato em ações jurídicas coletivas para bancários de bancos públicos e privados no último ano, com valor arrecadado de cerca de R$ 1,1 milhão. Outra fonte de receita que concorreu para o superávit foi a venda do Edifício Cacique, com valor de R$ 1,75 milhão. Esses valores passam a fazer parte de fundo de defesa de direitos e para dar finalidade ao terreno adquirido no ano passado no Centro de Porto Alegre. Com esse fundo e com esse investimento do terreno na nova sede, a venda do patrimônio está sendo revertida para um a nova valorização patrimonial. Esse dinheiro deixou de ser gasto e vai gerar um novo investimento. O projeto prevê a construção de um equipamento que seja autossustentável e que melhore a prestação de serviços aos bancários e bancárias.

O presidente do SindBancários, Everton Gimenis, abriu os debates da assembleia fazendo um alerta sobre a importância dos trabalhadores participarem das decisões financeiras de seu sindicato no contexto político de ataques a conquistas. “Os bancários devem vir aqui sempre discutir com a direção do Sindicato e com toda a categoria como gostariam de investir o seu dinheiro. Saber o quanto investimos na luta é importante para fazer o debate e se apropriar ainda mais no atual contexto político. Um dos pontos que questionamos da Reforma Trabalhista é asfixiar financeiramente os sindicatos para tirar a nossa força de manifestação”, explica Gimenis.

Para o presidente, um dos indicadores mais precisos sobre a força de um sindicato e sua capacidade de luta pode ser avaliada durante uma eleição. Na eleição deste ano, quase 7 mil bancários votaram para eleger a diretoria que vai fazer a gestão 2017-2020. “Temos uma participação muito grande da nossa base na vida do nosso Sindicato. Na nossa eleição só podem votar associados. O debate de finanças tem que passar pela importância de os bancários decidirem como vão sustentar o seu Sindicato”, acrescentou Gimenis.

O Diretor Financeiro do Sindicato, Paulo Stekel, atribui o resultado positivo ao controle e ao uso adequado dos recursos financeiros. “O dinheiro que é pago pelos bancários financia a nossa luta. O principal uso é para divulgar e organizar a nossa luta para a conquista de direitos. Por isso é importante que os bancários participem das assembleia e acompanhem a divulgação do balanço financeiro, porque é pelos recursos bem administrados que passam as nossas conquistas de direitos”, explicou Stekel.

Veja as demonstrações financeiras do exercício de 2016

https://www3.sindbancarios.org.br/wp-content/uploads/2017/06/balancos.pdf

 

Crédito Fotos: Anselmo Cunha

Fonte: Imprensa SindBancários

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FACEBOOK

SERVIÇOS

CHARGES

VÍDEOS

O BANCÁRIO

TWITTER