Assembleia aprova contas de 2019 do SindBancários

Por unanimidade, bancários(as) aprovaram prestação de contas com resultado positivo de R$ 3,3 milhões e receita diminuída devido aos ataques aos Sindicatos e aos direitos dos trabalhadores

Com 42 voto favoráveis, os participantes da assembleia virtual do SindBancários aprovaram por unanimidade, na noite da segunda-feira, 29/6, as contas do ano de 2019. As demonstrações financeiras apresentaram uma queda na arrecadação do SindBancários em relação ao ano de 2018.

Mesmo com as dificuldades, as contas apresentaram um resultado positivo de R$ 3,33 milhões no exercício de 2019.

Esta foi a primeira assembleia virtual de prestação de contas da história do SindBancários e foi realizada pelo aplicativo zoom, modalidade webinar.

A queda na arrecadação está diretamente relacionada às políticas de ataques aos direitos dos trabalhadores desde 2016. Os efeitos da redução da arrecadação estão diretamente relacionados à aprovação da Reforma Trabalhista em 2017 que lançou muitos trabalhadores à precarização e deixou cerca de 12 milhões de desempregados desde 2016.

A arrecadação chegou a R$ 11.871.875,59. As despesas somaram R$ 8.536.0890,21. O exercício fiscal de 2019 foi complicado e exigiu da administração do Sindicato o corte de gastos e uma política de prudência.

“Tivemos o fim do Imposto Sindical. E temos visto movimentos no governo federal e no Congresso de aumentar ataques aos sindicatos. Já vimos sindicatos grandes fecharem. Nós usamos como vacina campanha de sindicalização permanente. Conseguimos melhorar a base de arrecadação para amenizar as perdas com a política de ataques”, avaliou Luciano Fetzner, presidente em exercício do SindBancários.

“Um dos princípios que norteia a administração das contas é o princípio da prudência. Na previsão orçamentária, no final do ano, trabalhamos com a perspectiva de menor receita. Temos enfrentado demissões na categoria. O sucesso no resultado da nossa arrecadação é fruto de uma forte campanha de sindicalização. Infelizmente, temos que trabalhar com a redução da nossa categoria no longo prazo”, explicou o diretor financeiro, Tiago Pedroso.

As contas do Sindicato haviam sido aprovadas por unanimidade no Conselho Fiscal e na Direção Executiva. O presidente do Conselho Fiscal, Jorge Lucas, leu o relatório do Conselho Fiscal que analisou as contas e que não encontrou nenhuma irregularidade e elogiou o esforço da administração da diretoria.

A contadora Carmen Luiza D’Elia Branco esclareceu o superávit e exaltou o resultado do balanço patrimonial do Sindicato. “O resultado entre o que se arrecadou e o que se vai arrecadar e as despesas desse exercício mostrou superávit. As receitas estão num patamar acima das despesas. Em uma necessidade de saldar as suas dívidas circulantes, o Sindicato possui a disponibilidade praticamente o dobro do que tem de dívidas. É uma situação confortável”, detalhou Carmen.

Leia aqui o relatório da prestação de contas.

Fonte: Imprensa SindBancários

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FACEBOOK

SERVIÇOS

CHARGES

VÍDEOS

O BANCÁRIO

TWITTER