Após protestos, Caixa prorroga Projeto Remoto até 17 de julho

Todos os contratos vigentes serão prorrogados automaticamente, cabendo aos gestores checarem e fazerem correções, se necessário

Depois de constantes cobranças do movimento sindical, a Caixa anunciou, somente na tarde da quarta-feira, 01/07, a prorrogação do Projeto Remoto até o dia 17 de julho. De acordo com o comunicado, enviado por e-mail aos empregados, todos os contratos vigentes serão prorrogados automaticamente, cabendo aos gestores checarem, solicitando ou executando correções, se necessário.

“É um absurdo esta atitude da Caixa de deixar para a última hora o anúncio. Os empregados ficam apreensivos e inseguros”, criticou Fabiana Uehara Proscholdt, secretária da Cultura e representante da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT) nas negociações com a Caixa. “Chega de desrespeito com os empregados, queremos que a prorrogação vigore até o final da pandemia.”

Incoerência

A Contraf já havia denunciado a incoerência da direção do banco e do próprio presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, sobre o Projeto Remoto. Ao mesmo tempo em que afirmava, através da grande mídia, que iria expandir o programa de teletrabalho depois que o período de pandemia for superado no Brasil, convoca para o trabalho presencial empregados de diversas áreas-meio e matrizes, como fez desde a semana passada.

Fonte: Contraf-CUT, com edição de Imprensa SindBancários

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FACEBOOK

SERVIÇOS

CHARGES

VÍDEOS

O BANCÁRIO

TWITTER