Após muita cobrança, Caixa anuncia contratação de aprovados em concurso de 2014

A direção da Caixa comunicou internamente que irá chamar os selecionados no último concurso, realizado pelo banco em 2014, para contratações. A comunicação foi feita na última quinta-feira, 17/01, pelo presidente do banco, Pedro Guimarães, em visita à Diretoria de Gestão de Pessoas, em Brasília (DF), e reafirmada na viagem que fez a Boa Vista (RR). Informalmente e sem dar muitos detalhes, ele teria falado em 2.500 contratações. De acordo com o coordenador da Comissão Executiva dos Empregados da Caixa (CEE/Caixa), Dionísio Reis, “essa é uma reivindicação dos trabalhadores e das entidades, que têm denunciado nos últimos anos a redução significativa do quadro de pessoal do banco, acarretando o adoecimento dos empregados e comprometendo a qualidade do atendimento à população”, disse.

Para o presidente da Fenae, Jair Pedro Ferreira, a retomada das convocações é positiva, mas isso não basta. “Essa é uma luta da Fenae e de outras entidades. Os empregados estão mais sobrecarregados e adoecidos a cada dia. Não adianta chamar 2.500 concursados e forçar a saída de 5 mil, 10 mil trabalhadores com planos de demissão e aposentadoria”, critica. Ele acrescenta: “Guimarães diz querer ‘oxigenar’ a Caixa, mas isso não se faz com a simples troca de antigos por novos. É preciso reforçar o quadro de pessoal. No entanto, já se fala em novos PDVs a partir deste ano”.

Redução desde 2015

Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED), entre março de 2015 e novembro de 2018 a Caixa fechou 12.934 postos de trabalho no país. Dos trabalhadores desligados no período, 87,0% estavam no emprego há 10 anos ou mais.

Mais empregados para Caixa, Mais Caixa para o Brasil

A campanha de 2017, criada pelas entidades representativas em 2009, continua percorrendo as agências, onde a população mais sente a falta de empregados e cobrando mais contratações.

“Por isso vamos reafirmar na mesa de negociação a importância da Caixa como banco 100% público, fundamental para o desenvolvimento social e econômico do país, que não pode ter sua atuação reduzida”, concluiu Dionísio Reis.

Nova reunião

A CEE/Caixa se reunirá com a direção do banco no dia 1º de fevereiro para discutir o tema.

Fonte: Imprensa SindBancários com Contraf-CUT e Fenae

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FACEBOOK

SERVIÇOS

CHARGES

VÍDEOS

O BANCÁRIO

TWITTER