Após mobilização, Cabesp restabelece direitos dos associados no RS

Associados do RS terão atendimento de emergência nos hospitais Mãe de Deus e Moinhos de Vento, em Porto Alegre

A forte mobilização dos bancários fez a diretoria da Caixa Beneficente dos Funcionários do Banespa (Cabesp) restabelecer os direitos de atendimento de emergência nos hospitais Mãe de Deus e Moinhos de Vento, em Porto Alegre, aos associados residentes no Rio Grande do Sul.

Os direitos haviam sido cortados em setembro do ano passado, após a implantação do convênio de assistência médica com a Central Nacional Unimed (CNU), sem qualquer diálogo com os sindicatos e as associações.

Antes da Unimed, os colegas e seus dependentes eram bem atendidos, desde a década de 1990, pela rede da Caixa de Assistência dos Empregados do Banrisul (Cabergs), através de um convênio de reciprocidade.

Cabesp retoma atendimentos de emergência

O restabelecimento do atendimento nos dois hospitais foi comunicado no início da noite desta terça-feira (22) ao ex-presidente da Associação Gaúcha dos Funcionários Aposentados do Banespa (Agabesp), Delvino Rigo Simion, através de um telefonema da gestora de atendimento da Ouvidoria, subordinada à Diretoria de Operações da Cabesp, Simone Rillo.

Segundo Delvino, ela informou que “estão sendo emitidas novas carteiras que mudam da categoria do plano NA07 ESPECIAL para a categoria NA08 MASTER e, por conseguinte, restabelece o atendimento de emergência do Mãe de Deus, Moinhos de Vento e outros atendimentos que passamos a ter direito no novo plano MASTER”. O número da carteira permanece o mesmo.

“A alegação de não termos tido o retorno até o momento foi a de que as negociações junto à CNU e ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar) exigiram certa complexidade para chegarem a um consenso”, disse a gestora da Cabesp, segundo mensagem de Delvino, que foi retransmitida aos associados pelo novo presidente da Agabesp, Henrique Kornowski, que consultou a sua carteira digital da Cabesp e nela já consta NA08 MASTER.

Vitória coletiva

“Diante desta grande vitória, queremos ressaltar o forte e importante apoio recebido da Afubesp, dos sindicatos e dos diretores eleitos da Cabesp, em prol da nossa luta. Parabéns a todos”, agradeceu Henrique. “Inúmeros associados também se manifestaram individualmente junto aos canais da Cabesp e da ANS, expressando toda a sua inconformidade”, acrescenta.

O conselheiro emérito da Afubesp e secretário de Comunicação da CUT-RS, Ademir Wiederkehr, destacou que “foi uma vitória coletiva que mostra a importância das nossas entidades de representação para resolver os nossos problemas. Não podemos acreditar em práticas aventureiras”.

A pressão começou com a reunião virtual realizada com os associados gaúchos no dia 23 de novembro, coordenada pelo presidente da Afubesp, Camilo Fernandes, que contou com a participação dos diretores eleitos da Cabesp, Wagner Cabanal Mendes (administrativo) e Sérgio Kiyoshi Hirata (financeiro), e dirigentes sindicais.

Na sequência, um abaixo-assinado contendo 105 assinaturas em papel, obtidas em apenas uma semana no final de novembro, foi encaminhado pelo presidente da Agabesp no dia 7 de dezembro para a Afubesp. O documento foi entregue em mãos pelo presidente da Afubesp, ao diretor administrativo da Cabesp, no dia 14 de dezembro.

A “resposta” da Ouvidoria da Cabesp, enviada ao presidente da Agabesp no dia 6 de janeiro, frustrou os associados, uma vez que não respondeu a nenhuma das reivindicações do abaixo-assinado. Mas a luta não parou.

Nunca desistimos de lutar

O Sindicato dos Bancários de Porto Alegre e a Fetrafi-RS solicitaram a marcação de uma negociação com o Santander e a presidente da Cabesp, Maria Lúcia Ettore do Valle, para buscar uma solução. Os diretores eleitos também fizeram movimentos pelo restabelecimento do atendimento de emergência nos dois hospitais.

O diretor do SindBancários e representante do RS na Comissão de Organização dos Empregados (COE) do Santander, Luiz Carlos Cassemiro, comemora a volta do atendimento que é também prestado aos colegas na ativa do Santander. “Nunca desistimos de lutar e estamos juntos aos colegas do Banespa, cobrando sempre respeito e dignidade do Santander e da Cabesp, visando preservar direitos e evitar retrocessos”, salienta.

“Temos que reforçar a atuação dos sindicatos e das associações que nos representam e, passados mais de 21 anos da privatização, garantiram a continuidade do patrocínio do Santander na Cabesp e no Banesprev. O momento não é de divisão entre nós, mas sim de unidade, luta e mobilização”, ressalta Camilo.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FACEBOOK

SERVIÇOS

CHARGES

VÍDEOS

O BANCÁRIO

TWITTER