Após denúncias de Assédio Moral, SindBancários fecha agência do Banrisul na Lomba do Pinheiro

Ação sindical foi motivada por abusos e política de gestão de medo junto à categoria

Diretores do Sindicato dos Bancários de Porto Alegre e Região (SindBancários) fecharam uma agência do Banrisul localizada na Lomba do Pinheiro, em Porto Alegre, na manhã desta quarta-feira (06), após o recebimento de denúncias de assédio moral na Unidade. Conforme os relatos, a gestão vem reiteradamente praticando uma política de medo junto a alguns trabalhadores do local. Pressão pelo cumprimento de metas, manipulação psicológica e situações de desrespeito ao quadro de funcionários são situações corriqueiras na agência.

A iniciativa chamou a atenção de clientes, que tiveram seus direitos respeitados e o acesso garantido aos terminais eletrônicos de autoatendimento da agência. A unidade permaneceu fechada até as 12h.

“Após tentativa de diálogo com a gerência da Unidade, decidimos fechar a agência em consideração aos banrisulenses que vêm sendo submetidos a uma gestão de medo e perseguição. Esse tipo de gestão vem provocando o adoecimento psicológico e mental dos trabalhadores, o que resulta na diminuição do rendimento de parte do quadro de funcionários”, explica a diretora do SindBancários, Sílvia Chaves, que esteve presente no momento em que a porta de entrada do estabelecimento foi selada, barrando o acesso de trabalhadores e funcionários ao local.

Conforme a diretora, a política de assédio é uma bola de neve, pois com o adoecimento dos colegas, há a diminuição do desempenho individual e a sobrecarga de trabalho dos demais colegas.

O constrangimento é tão grande que extrapola o espaço físico da unidade bancária, criando situações embaraçosas inclusive para o comércio do entorno. Segundo depoimentos de comerciantes da região, a gestão da agência é desrespeitosa inclusive com quem não é subordinada a ela, como atendentes de farmácia, flanelinhas e caixas de armazéns e mercados.

“Aos amigos do rei tudo. Aos inimigos, ao rigor da lei”

O diretor de Comunicação do sindicato, Gilnei Nunes, destaca que os dirigentes do SindBancários foram mal recebidos durante a primeira e única tentativa de diálogo com a gestão da Unidade.
“ Quando questionamos as instâncias superiores da agência sobre as denúncias que recebemos, fomos tratados de forma ríspida, com requintes maquiavélicos, a julgarmos pela frase que nos foi dita na ocasião: “aos amigos do rei tudo, aos inimigos, o rigor da lei”, enfatizou o diretor, ao se referir a frase do filósofo italiano, Nicolau Maquiavel, dita pela gestão no momento em que foi confrontada com as denúncias.

Assédio será tema de mesa de negociação com a Fenaban

O presidente Luciano Fetzner também acompanhou o fechamento da unidade e aproveitou para se comunicar diretamente com a categoria através das redes sociais. Em vídeo publicado na página do SindBancários no Instagram, o dirigente sindical destacou que o assédio moral não é uma situação isolada em uma ou outra unidade do Banrisul, mas um problema sistêmico que já dura há muito tempo. Para ele, chegou a hora de dar um basta em práticas violentas e intimidadoras de gestão.

“Este é um problema generalizado, não apenas no Banrisul, mas em toda a categoria. É por isso que o movimento sindical bancário incluiu uma cláusula de combate ao assédio moral e sexual na Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) que está sendo negociada com Fenaban. Inclusive, temos uma reunião sobre este tema ainda hoje”, revela Fetzner ao fazer menção à mesa de negociação que acontece nesta quarta-feira, às 14h, de forma remota, através do aplicativo Zoom, e que busca chegar a um consenso sobre a luta contra as práticas de assédio no ambiente bancário.

Texto de Marcus Perez. Fonte: Imprensa SindBancários

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FACEBOOK

SERVIÇOS

CHARGES

VÍDEOS

O BANCÁRIO

TWITTER