Agosto registra um ataque a banco a cada 22 horas no RS. Ano mais violento desde 2007 é culpa do governo Sartori

Os ataques a bancos do último fim de semana transformaram agosto de 2015 no terceiro mês mais violento dos últimos 10 anos. Foram nove ações de criminosos desde sexta-feira até a amanhã desta segunda, 24/8. O oitavo mês deste ano acumula 26 ataques a bancos. Só houve mais ataques em apenas um único mês, segundo levantamento do SindBancários: setembro de 2006, com 29 ações de criminosos no Rio Grande do Sul. O detalhe: setembro de 2006 está sendo considerado inteiro, em seus 30 dias, contra os 24 dias de agosto de 2015.

É um ataque a cada 22 horas em agosto de 2015. Quer dizer, a próxima semana, sendo fim de mês, tem tudo para que agosto deste ano acumule mais quatro ataques a bancos no Rio Grande do Sul e se torne o mês de maior violência bancária dos últimos 10 anos.

https://www3.sindbancarios.org.br/wp-content/uploads/2015/08/grafico_ataques-a-bancos_agostos_24082015.pdf

“Estamos caminhando para um recorde sinistro. Fizemos uma comparação e uma análise dos nossos registros de ataques a bancos nos últimos 10 anos. Somente num mês de 2006 ocorreu mais ataques a bancos do que este agosto. Há 10 anos, o governador do Estado era Germano Rigotto. Ele cumpria  o último ano de seu mandato. Ele é do mesmo partido, o PMDB , do que o atual governador José Ivo Sartori”, diagnosticou o presidente do SindBancários, Everton Gimenis.

Não se trata de mera coincidência. São dois governadores de mesmo partido e com uma visão privatizante de Estado. Na comparação, Rigotto só não radicalizou no ataque a direitos dos servidores públicos. Sartori cortou investimentos em segurança e os salários de policiais militares e policiais civis. O efeito é o crescimento da insegurança dentro e fora das agências bancárias.

“Podemos dizer que políticas de Estado mínimo têm repercussões na sociedade. A história se repete com dois governadores que imobilizaram os serviços públicos. Os dados da violência são claros e não deixam dúvidas. Os governadores são responsáveis diretos pelo crescimento da violência bancária”, avaliou o presidente do SindBancários, Everton Gimenis.

Quando se avalia o volume de ataques a bancos dos primeiros oito meses do período 2007 -2015, ou seja, nove anos, 2015 é o campeão do absurdo do crescimento da violência. São 152 ataques até 24/8. Agosto nem terminou ainda, e os oito meses de 2015, faltando sete dias para se completar, já é 20,6% mais violento do que os oitos primeiros meses completos de 2014, com 126 ataques (veja gráfico).

https://www3.sindbancarios.org.br/wp-content/uploads/2015/08/grafico_ataques-a-bancos_jan_ago_24082015.pdf

É possível reivindicar que os dados de levantamento do SindBancários apresentam uma correlação com o corte dos investimentos em segurança pública, anunciados pelo governador Sartori, de 30%. Mas o que já está ruim, infelizmente, pode piorar. O governador aposta alto no desastre da segurança pública ao dizer que, neste mês, os servidores públicos irão receber, no dia 31 de agosto, apenas R$ 500.

Se, no dia 31 de julho passado, o corte de metade dos salários do funcionalismo levou policiais militares a se aquartelarem, imagine-se com depósito de apenas R$ 500 na conta de servidores da segurança. Se Sartori aposta no caos, deveria, ao menos, se preocupar em apostar na vida de trabalhadores bancários e de clientes de bancos. Com policiais nas ruas, os ataques a bancos nunca foram tão numerosos. Sem policiais, a quem devemos recorrer? Aos criminosos ou a algum super-herói? Sartori, definitivamente, não é o mocinho deste roteiro fadado ao desastre e à tragédia.

https://www3.sindbancarios.org.br/wp-content/uploads/2015/08/24082015s.pdf

Fonte: Imprensa SindBancários

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FACEBOOK

SERVIÇOS

CHARGES

VÍDEOS

O BANCÁRIO

TWITTER