Agência do Santander em Canoas fecha por falta de condições de trabalho. Banco demite e comete assédio moral

 

Uma agência do Santander, em Canoas, teve que ficar com as portas fechadas durante toda esta terça-feira, 17/3, por falta de condições de trabalho. Além de falta de pessoal, que sobrecarrega colegas, essa agência tem registros de caso de assédio moral e cobrança de metas abusivas. O SindBancários entenda e comprova há vários anos que a pressão e o assédio são responsáveis por adoecimento e sofrimento psicológico.

Contra esse tipo de prática, diretores do SindBancários foram até essa agência do Santander e colocaram os trabalhadores à par dos seus direitos. Também constataram que não havia possibilidade de a agência ficar aberta. “Já conversamos com o banco há muito tempo sobre as dificuldades dos trabalhadores. Como nada foi feito até agora, fizemos uma ato em defesa da integridade física e psicológica dos trabalhadores”, diz o diretor administrativo do SindBancários e funcionário do Santander, Ronaldo Brum.

O caso dessa agência de Canoas exemplifica uma prática institucional do banco em relação aos trabalhadores. “O Santander não respeita seus funcionários e clientes. Os números do balanço de 2014 mostram que o Santander no Brasil trabalha com estratégia equivocada. O banco adoece muitos de seus funcionários com a prática de assédio moral, associada à cobrança abusiva de metas. Todos perdem. Os funcionários, os clientes e o banco pela exposição da sua marca perante a sociedade”, acrescenta o diretor do SindBancários e funcionário do Santander Luiz Cassemiro.

O presidente do SindBancários, Everton Gimenis, explicou que o SindBancários tem como prática atender bancários em seus locais de trabalho. Basta que o colega que esteja sofrendo algum tipo de pressão entre em contato com o Sindicato. “Muitas vezes o colega está sofrendo assédio moral e nem sabe. Por isso é preciso prestar atenção em perseguições, em cobranças na frente de outros colegas. O departamento de saúde do Sindicato e especialistas dizem que, muitas vezes, os efeitos psicológicos do assédio moral e da pressão podem se manifestar até muitos anos adiante”, explica Gimenis.

Também participaram do ato em frente à agência do Santander os diretores Natalina Rosane Gue, Marcelo Paladin, Celio Santos e Nilton Gomes.

 

Demissões

 

Os números do balanço de 2014 mostram que o Santander no Brasil trabalha com estratégia equivocada. O banco adoece muitos de seus funcionários com a prática de assédio moral, associada à cobrança abusiva de metas, ao fechamento de vagas e rotatividade.

 

No período de 2012 a 2014, o banco fechou 4.683 postos de trabalho, uma redução de 8,7%. Entendemos que o Santander não tem motivos para realizar cortes dessa magnitude, mesmo porque o banco acumula lucros históricos. Os negócios do banco espanhol no Brasil representam 19% do lucro mundial do Santander.

 

O Sindicato irá continuar de olho no Santander e cobrar melhores condições de trabalho para os funcionários, responsáveis pela geração deste lucro.

 

Denuncie no Tudotemlimite!

 

Os trabalhadores que tenham alguma denúncia de assédio moral ou qualquer outro tipo de problema devem denunciar nos canais do Sindicato. O SindBancários mantém um canal direto de denúncia, o Tudotemlimite. Denuncie para que possamos atuar, proteger o trabalhador. Ajude-nos a erradicar o assédio moral dos bancos e proteger a saúde dos bancários. A identidade de quem denuncia é preservada.

 

Ligue: (51) 3433-1225/3433-1200

 

www.sindbancarios.org.br/tudotemlimite

 

[email protected]

 

 

Fonte: Imprensa SindBancários

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FACEBOOK

SERVIÇOS

CHARGES

VÍDEOS

O BANCÁRIO

TWITTER