Agência do BB de Alvorada sofre segundo ataque do ano

Sequestro de funcionário mostra que quadrilhas voltam a investir em violência direta e levar pânico aos bancários do RS

Foi tudo muito rápido na manhã da segunda-feira, 22/6. E, quem se viu envolvido na trama de uma quadrilha descrita como especializada e organizada, está com muito medo. O ataque à agência Alvorada do Banco do Brasil pode ser descrito como um ataque a distância, mas não menos perigoso porque envolveu o sequestro de colega.

A violência foi direta. Um colega foi sequestrado em Porto Alegre. E os criminosos telefonaram para a agência com exigências muito claras.

Mandaram outro funcionário entregar dinheiro do cofre e dos caixas eletrônicos se não matariam o colega mantido como refém. Depois que os valores fossem acondicionados em um saco de lixo e que o funcionário fosse para a frente da agência bancária, o refém seria solto.

Lá na frente da agência outro integramente da quadrilha esperava. Ele pegou o saco cheio de dinheiro e sumiu.

Essa mesma agência havia sido alvo de um ataque a banco em 28 de janeiro passado. Na ocasião, os criminosos invadiram o local de trabalhos dos bancários do BB da agência Alvorada, fizeram todos de reféns e levaram dinheiro dos caixas eletrônicos.

A violência deixou marcas. Um dos funcionários que pediu para não se identificar disse que se assustou com a voz do outro lado da linha de seu telefone pessoal.

“Ligaram para mim. E falaram que estavam com a família do colega. E que tinham sequestrado. Ameaçaram e mandaram abrir o caixa e os caixas eletrônicos. Queriam que entregasse os valores dentro de um saco de lixo na frente da agência. Tinha gente vigiando. Fui abordado na rua. Me abordaram na rua, pegaram o dinheiro e foram embora”, descreveu o funcionário, que pediu que seu nome ficasse anônimo.

A agência do Banco do Brasil de Alvorada foi fechada logo depois do sequestro seguido de extorsão como o Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic) da Polícia Civil trata o crime. A agência permaneceu fechada nessa terça-feira, 22/6.

Violência direta tem índice de 86%

O SindBancários mantém acompanhamento estatístico dos ataques a agências bancárias no Rio Grande do Sul desde 2006.

Esses dados são colhidos a partir da publicação dos casos de ataques a agências bancárias com base no acompanhamento das publicações em redes sociais, em veículos de comunicação e em relatos de dirigentes sindicais e funcionários de bancos.

Os dados mostram que, apesar da redução do volume de ataques às agências bancárias nos últimos dois anos, há uma retomada de uso de violência direta. Para a compreensão melhor dos dados, consideramos violência direta todo ataque a agência bancária que desenvolva algum tipo de medo nos bancários e que haja contato direto com os agressores de pelo menos um colega.

Os ataques com maior risco de violência à integridade física dos bancários cresceram este ano. Dos 14 casos registrados até agora, 12 (86%) envolvem assaltos, invasão em agência bancária, reféns em agências, sequestros e uso de revólveres ou fuzis e cordão humano. Dois dos casos, são furtos na forma tentada, com algum dano ao local de trabalho dos bancários.

 

Relação de ataques a bancos no Rio Grande do Sul em 2021                                                     

Junho  2021

            Dia 21: Banco do Brasil (Alvorada). Bancário é sequestrado em Porto Alegre e obrigado a entregar dinheiro de sua agência em Alvorada.

Maio 2021

            Dia 07: Cooperativa Cresol (Estação). Assalto à Cooperativa de crédito. Assaltantes armados invadiram agência e chegaram a amarrar funcionários.

            Dia 18: Santander (Porto Alegre). Assalto a banco em agência da 24 de Outubro, bairro Moinhos de Vento, com invasão de quatro homens armados por porta lateral da agência.

Dia 31: Banrisul (Amaral Ferrador). Assalto à agência, com cordão humano, no centro da cidade e três pessoas sequestradas e feitas de refém. Assista aqui a imagens desta ação. https://globoplay.globo.com/v/9564710/

Abril 2021

            Dia 20: Santander (Canoas). Assaltantes invadiram agência no centro mas não conseguiram ter acesso ao cofre. Fugiram levando armas de vigilantes.

Março 2021
Dia 04: Banrisul (Alpestre). Criminosos atacaram agência, fizeram um refém e foram interceptados no dia 7/3. Dois deles foram mortos em confronto com a Brigada Militar.

Dia 12: Banrisul (Porto Alegre). Assaltantes abordaram gerente na chegada à agência e porta de ferro foi acionada. Criminosos fugiram sem levar nada.

           Dia 18: BB Estilo na Nilo e Itaú Farrapos (Porto Alegre): são atacados por quadrilha de forma simultânea.

Dia 28: Sicredi (Torres). Brigada Militar frustra tentativa de furto em agência bancária do Litoral Norte. PMs chegaram ao local e criminosos haviam fugido deixando equipamentos para abrir cofre para trás.

Fevereiro 2021

            Dia 15Banco do Brasil (Novo Hamburgo) – Arrombamento. Ladrões arrombaram paredes e abrem cofre cheio de documentos.

Janeiro 2021

            Dia 28 – Banco do Brasil (Alvorada)Assalto com roubo do dinheiro do cofre e caixas eletrônicosDia 21 – Santander (Porto Alegre – Avenida São Pedro) – Tentativa de assalto
Dia 21 – Caixa (Porto Alegre – Avenida São Pedro) – Tentativa de assalto
           Dia 5 – Itaú (Porto Alegre) – Três homens invadem agência no Centro de Porto Alegre usando revólver falso, tomam revólver de vigilante e fogem.

Fonte: Imprensa SindBancários

 

 

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FACEBOOK

SERVIÇOS

CHARGES

VÍDEOS

O BANCÁRIO

TWITTER