A resistência indígena em “A nação que não esperou por Deus”, em cartaz no SindBancários

Em um panorama que vai do final do século XVIII até os dias atuais, a luta dos indígenas para terem preservadas sua cultura e suas terras é o tema do documentário “A nação que não esperou por Deus”, de Lúcia Murat, que estreou no CineBancários na semana passada. Na sexta-feira, 17/07, a exibição foi seguida de debate com a presença da diretora. A obra mostra a realidade e a resistência atual dos índios Kadiwéu, da região do Mato Grosso do Sul, em dois momentos. A cineasta, que dirigiu a produção juntamente com Rodrigo Hinrichsen, conheceu a tribo no final dos anos 80, nas filmagens de “Brava gente brasileira”, ambientado no século XVIII.

Defesa das terras

O documentário insere algumas cenas da ficção rodada décadas atrás, mas registra o desenvolvimento de uma cultura e uma consciência de resistência cultural dos indígenas nos dias atuais. Dos anos 80 para cá, a realidade local foi alterada com a presença maciça da televisão e o estabelecimento de igrejas evangélicas na região – além das ameaças às suas terras com a invasão de áreas para a expansão agrícola. “A nação que não esperou por Deus” mostra a resistência dos kadiwéu até conseguirem a reintegração de posses de terras tomadas por latifundiários, após a morte de Ademir, líder da tribo. Na Casa dos Bancários (Rua General Câmara, 424), às 15h, 17h 19h.

 

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FACEBOOK

SERVIÇOS

CHARGES

VÍDEOS

O BANCÁRIO

TWITTER