A luta no BB é também pela Cassi

Dia Nacional começa mobilização permanente nos locais de trabalho para buscar melhores condições de atendimento à saúde

Dirigentes do SindBancários estão mobilizados para levar informação sobre um importante tema relacionado à saúde dos colegas do Banco do Brasil. Tanto que, na quinta-feira, 22/8, cumpriram uma jornada de conversa pessoal com colegas de todo o Brasil.

Em Porto Alegre, dirigentes percorreram agências, distribuíram jornais e mobilizaram os colegas a participar de um abaixo-assinado que será enviado ao Conselho da Cassi.

No Dia Nacional de Luta em Defesa da Cassi, basicamente, deixamos claro que é preciso ficarmos juntos para defender a nossa Caixa de Assistência. O que a nova e intransigente diretoria quer é fazer a gente pagar mais pelo nosso atendimento em saúde e reduzir a responsabilidade do banco.

Viemos conversar com os colegas para tirar dúvidas e mobilizar para a defesa da Cassi. Estamos vivendo um período muito difícil com essa diretoria. Eles querem precarizar o que puderem para desmontar o banco e facilitar venda”, explicou a diretora do SindBancários e funcionária do Banco do Brasil, Bianca Garbellini.

Basicamente, eles aumentaram o valor da coparticipação e agora querem que a gente tenha que pagar por atendimento complexo, como tratamento de doenças graves, pelo resto da nossa vida. Na prática, é exatamente isso que eles querem.

É um golpe nos nossos direitos querer Transformar o teto de 1/24, hoje cobrado em parcela única, em um teto mensal, mas obrigando o funcionalismo a pagar o tratamento completo. Em diversos casos isso significará um endividamento com a Cassi para o resto da vida. É penalizar o colega que já está adoecido.

Toda essa atividade e entendimento a respeito do que podemos fazer para a Cassi melhorar foi definida no 30º CNFBB, em São Paulo, em 1º e 2 de agosto, em São Paulo.

Foi lá também que se decidiu realizar atos de mobilizações para pressionar a direção a voltar à mesa e negociar condições mais decentes de atendimento de saúde da Cassi.

Nós queremos resolver a condição financeira da Cassi e um melhor atendimento à saúde por meio da negociação com a diretoria. Mas essa diretoria é intransigente e não quer saber de negociar. Precisamos da ajuda dos colegas”, analisou a diretora do SindBancários e também funcionária do Banco do Brasil, Luíza Bezerra.

A Cassi está sob direção fiscal da ANS, e sob este governo ultraneoliberal e privatista. O risco é, no futuro, o plano de associados ser liquidado. O BB precisa assumir sua responsabilidade com a Cassi e voltar à mesa de negociação com as entidades de representação dos funcionários.

O que a gente precisa para melhorar a nossa saúde é maior responsabilidade do banco. Os dirigentes estão levando aos locais de trabalho um abaixo-assinado que será enviado ao Conselho da Cassi exigindo que o BB respeite os acordos e que a Direção da Cassi mantenha as regras da coparticipação que foram aprovadas pelo corpo social em 2007.

Fonte: Imprensa SindBancários

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FACEBOOK

SERVIÇOS

CHARGES

VÍDEOS

O BANCÁRIO

TWITTER