28 de Junho, Dia Internacional do Orgulho LGBTQIA+: Por um mundo mais inclusivo!

Confira o artigo de Sandro Rodrigues, diretor de Diversidade e Antirracismo do SindBancários

O Dia Internacional do Orgulho LGBTQIA+, que tem sua comemoração no dia 28 de junho, é um dia relevante em que devemos fazer o debate por um mundo mais inclusivo e mais consciente. A data também diz sobre a importância do combate aos preconceitos contra a população LGBTQIA+ e todes que se identificam como lésbicas, gays, bissexuais, transexuais, transgêneros, travestis, queer, questionando, curioso, intersexo, assexual, pansexual, polissexual, familiares e amigos, dois-espíritos, kink e demais orientações sexuais e identidades de gênero.

SIM! Nossas bandeiras e símbolos do movimento devem ser sempre lembrados, não somente no dia 28 de junho; devemos pautar a mídia e a política, principalmente neste governo que estamos vivendo no Brasil, que é homofóbico, lesbofóbico, transfóbico, racista, machista e fascista. É preciso fazer esse enfrentamento e promover o debate pela promoção do respeito e do empoderamento de indivíduos ainda hoje marginalizados e vulnerabilizados, seja por preconceito, estigma ou discriminação.A sigla diz respeito à inclusão de outras orientações sexuais, identidades e expressões de gênero, que devem estar sempre em nossas pautas fazendo contraponto a esse governo.

Entendemos que para defender os direitos, a cidadania e a dignidade de todes é preciso informação sobre a população LGBTQIA+, para que sigamos com os direitos assegurados através de muitos embates políticos. Temos um compromisso ético de denunciar discriminações que excluem e perseguem, além da violência LGBTfóbica e a incitação ao ódio. Nossa luta é por direitos como saúde, união estável, casamento, família e adoção, mercado de trabalho, readequação de sexo e gênero, nome social a todos cidadãos(ãs), independente de sua orientação sexual ou identidade de gênero. É também para viabilizar políticas públicas semelhantes aos corpos, com toda a sua pluralidade dos sujeitos envolvidos nas demandas, saindo de um colonialismo hierarquizante de direitos humanos no mundo.

Portanto, estamos falando da luta diária em busca da humanização das relações interpessoais e no ambiente de trabalho. E dentro das organizações, no atual contexto político, bem como na categoria bancária, ainda é um desafio, sendo necessário compreendermos a diferença entre diversidade e inclusão, uma vez que diversidade está atrelada a porcentagem de diferentes pessoas atuando na empresa, como, por exemplo, negros(as), mulheres, LGBT’s, PCD’s, entre outras(os), e a inclusão é a prática da promoção e tratamento igualitário a todes os grupos envolvidos, que visa o direito das mesmas oportunidades de desenvolvimento e crescimento.

Enfim… É um debate que deve estar presente nas mesas de reuniões e negociações políticas de qualquer organização que busca um ponto inicial para promover mudanças e diversidade na sociedade e no ambiente de trabalho.

Saudações a quem fez a luta por este Dia Internacional do Orgulho LGBTQIA+. Não nos enganemos, temos ainda muitos embates pela frente.

Sandro Rodrigues
Diretor de Diversidade e Antirracismo do Sindicato dos Bancários de Porto Alegre e Região

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FACEBOOK

SERVIÇOS

CHARGES

VÍDEOS

O BANCÁRIO

TWITTER