28 de Abril: Dia Internacional pelas vítimas de Acidentes de Trabalho

O diretor do SindBancários Mauro Salles lembra a ofensiva contra os direitos e a saúde dos trabalhadores também no Brasil

A cada 28 de abril – Dia Internacional das Vítimas de Acidente de Trabalho – recordamos os trabalhadores e trabalhadoras que sofrem acidentes e doenças do trabalho. É uma data de reflexão e luta que serve também para denunciarmos as condições de trabalho adversas que estão na origem dessa tragédia social.

Também não podemos deixar de denunciar a ofensiva contra os direitos dos trabalhadores, vinda do Governo e Legislativo, que alimenta a possibilidade de mortes, doenças e acidentes, pois diminuiu a necessária proteção social e na execução do trabalho.Este 28 de abril, porém, não pode ser como em outros anos. Agora enfrentamos uma crise sanitária que está levando os sistemas de saúde ao limite, com milhares de mortes no mundo todo.

Por isso, uma homenagem especial, nesta data, deve ser para as vítimas, para seus familiares, amigos e companheiros de trabalho, mas também para os trabalhadores dos serviços essenciais, que arriscando sua saúde, estão enfrentando esta enfermidade na primeira linha.

Estes homens e mulheres estão demonstrando, mais uma vez, a importância da classe trabalhadora para organizar o funcionamento de nossa sociedade.

É preciso denunciar a lógica de um sistema econômico que privilegia a obtenção de benefícios empresariais, o lucro a qualquer custo, em detrimento da saúde das pessoas. A manutenção da vida é o bem maior – e não pode ser deixada em segundo plano, como prega o presidente brasileiro e muitos empresários, demonstrando uma visão insensível, tacanha e criminosa.

Os acidentes e doenças são um grave problema de saúde pública e devem ter maior visibilidade. Afinal, na maioria dos casos são eventos evitáveis, que, tendo uma efetiva prevenção, não aconteceriam, causando tantas morte, invalidez, doenças e sofrimento.

Conforme o Observatório Digital de Segurança e Saúde do Trabalho, o Brasil registra uma morte por acidente do trabalho a cada 3 horas e 40 minutos. Já os acidentes de trabalho ocorrem a cada 49 segundos. Salientamos que os dados aqui apresentados ficam muito aquém da realidade, pois existe muita subnotificação.

Bancários sempre atingidos

Na categoria bancária, são preocupantes os dados de adoecimento causado pelo trabalho, que impõe alta carga cognitiva com uma enorme pressão por resultados, o que têm trazido sofrimento, elevação da incidência de doenças psíquicas e osteomusculares e mesmo alto índice de suicídios.

O aumento na proporção de afastados relacionados a doenças mentais e psíquicas deve-se ao modelo de gestão implementado pelos bancos, que favorece práticas de assédio moral e maior violência psicológica, visando o cumprimento de metas cada dia mais elevadas, maior pressão, controle e aumento da competitividade entre seus trabalhadores. Os bancos são responsáveis por 15% do total de afastamentos em todos os setores por doenças com causas mentais e comportamentais.

Nem no período da pandemia os bancos sossegam. As pressões por resultado continuam elevadas, sendo cobradas metas impossíveis de serem executadas, pois a atividade econômica está em colapso. Isso têm gerado a exposição dos colegas à riscos, mostrando a insensibilidade dos bancos onde o que importa são os resultados e a vida das pessoas é colocada em segundo plano.

Coragem e presteza

Os bancários estão cumprindo importante papel durante a pandemia, atendendo a população necessitada com coragem e presteza. Mais uma vez a realidade está deixando cristalina a importância do serviço público, em especial dos bancos públicos, que são quem socorre a sociedade quando ela mais precisa.

Seguimos trabalhando para enfrentar esta crise sanitária fazendo o que melhor sabemos: defender a classe trabalhadora, denunciando onde seja preciso e exigindo o cumprimento das normas legais principalmente durante a pandemia. Trabalhamos a cada dia para garantir a proteção de todos e, acima de tudo exigindo respeito às pessoas com uma gestão humanizada onde a o ser humano esteja em primeiro lugar. (Mauro Salles)

Obs.: No dia 28 de abril de 1969, uma explosão numa mina no estado norte-americano da Virginia matou 78 mineiros. Em 2003, a Organização Internacional do Trabalho (OIT) instituiu a data como o Dia Mundial da Segurança e Saúde no Trabalho, em memória às vítimas de acidentes e doenças relacionadas ao trabalho.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FACEBOOK

SERVIÇOS

CHARGES

VÍDEOS

O BANCÁRIO

TWITTER